Aprenda com os erros de Israel no retorno às aulas

Gestão Escolar

Aprenda com os erros de Israel no retorno às aulas. Dando sequência à série sobre como as escolas voltaram às aulas presenciais em diferentes países pelo mundo, hoje apresentamos o caso de Israel, no Oriente Médio. Ali, o governo adotou uma política arrojada de retorno na segunda quinzena de maio, abrindo todas as escolas quando a maioria dos países continuava a lidar com surtos fora de controle da covid-19.

Na ocasião, as escolas estavam fechadas desde a metade de março, decerto mantendo 2 milhões de estudantes em casa, atendidos por educação remota. Os novos casos diários da doença havia caído abaixo de 100, dessa forma o governo decidiu apostar na reabertura no início de maio, testando com a volta gradual de crianças com menos de 3 anos e de estudantes dos anos finais do Ensino Médio.

A estratégia pareceu vitoriosa e o governo a radicalizou, abrindo todas as escolas no dia 17 daquele mês. A esperança do governo era liberar as famílias para voltar ao trabalho e reativar a economia abalada pela pandemia.

No mesmo dia 17, em contrapartida, uma criança do 7º ano de uma escola em Jerusalém testou positivo para o coronavírus. Dois dias depois, um aluno do 9º ano também apresentou sintomas da doença. No final 154 estudantes e 26 professores e funcionários da mesma unidade contraíram covid-19. O mais assustador foi o fato de que 60% deles estavam assintomáticos.

Como resultado, nos dias que se seguiram, mais de 200 escolas tiveram de ser fechadas e 22 mil alunos e educadores foram colocados em quarentena. O país, que havia reduzido o número diário de novos casos para a casa dos dois dígitos, voltou a apresentar 2 mil novos casos da doença por dia. A retomada só foi possível, novamente, a partir do final de junho.

Aprenda com os erros de Israel no retorno às aulas conferindo abaixo os principais equívocos cometidos pelo país e a solução adotada para remediá-los:

Erro 1: retomada total

Após um reinício escalonado, apenas com crianças da Educação Infantil menores de 3 anos e alunos do último ano do Ensino Médio, em semanas alternadas, o governo autorizou a volta total das escolas com todos os alunos.

Correção: turmas reduzidas

Na segunda retomada das aulas, no final de junho, as turmas voltaram em grupos reduzidos, em dias alternados.

Erro 2: salas lotadas

Com a volta total, turmas com em média 40 alunos se espremiam em salas de 45 metros quadrados.

Correção: distanciamento social

Na volta com turmas menores, as carteiras devem estar posicionadas a uma distância mínima de dois metros umas das outras.

Erro 3: máscaras liberadas

Embora fizesse parte das medidas iniciais de cuidados, o uso de máscaras pelos alunos foi liberado por 4 dias por causa de onda de calor que atingiu Jerusalém.

Correção: uso obrigatório

Agora, todos os estudantes são obrigados a usar máscaras durante o período de aulas. Os que se recusam, voltam para casa.

Erro 4: espaço fechado

A onda de calor também foi responsável pelo cancelamento de outra medida de segurança que mandava as escolas manterem as janelas abertas. Após a reclamação dos pais, as escolas foram autorizadas a fechar as janelas e acionar os aparelhos de ar-condicionado.

Correção: ambientes ventilados

Com o intuito de manter ambientes arejados, os aparelhos de ar-condicionado estão proibidos em todas as escolas e as turmas só podem permanecer em ambientes bem ventilados ou, preferencialmente, abertos.

Quer conhecer o que aconteceu em outros países? Então confira as medidas adotadas por China, Dinamarca, Coreia do Sul, França, Nova Zelândia, Portugal, África do Sul, Austrália e Alemanha.

109 Comentários. Deixe novo

  • Se voltarmos sem uma vacina, nossa experiência será muito pior do que a de Israel.

    Responder
    • wanderlaine Fernandes da Silva Dias
      04/09/2020 13:02

      Infelizmente voltando sem uma vacina não vejo como ser diferente de Israel porque aqui ,nem temos ar condicionado e infelizmente muito menos janelas que abrem seus vidros por falta de manutenção.

      Responder
      • Sandra Mandarano
        04/09/2020 18:56

        Vdd. Aqui no Brasil temos escolas públicas com realidades bem diferentes tb. Trabalho em uma com ventiladores nas salas de aula. Nos protocolos recomenda-se não ligá-los. Penso que deveria ser proibido, pq uma recomendação abre espaço para ligar num dia de muito calor ….

        Responder
    • Elieci De Souza Lima
      24/09/2020 09:17

      Sem vacina e impossível a retomada das aulas .

      Responder
  • Mônica Reis
    02/09/2020 18:57

    Sem uma vacina desenvolvida, retornar as aulas será desastroso!!

    Responder
  • Mônica Reis
    02/09/2020 18:58

    Retornar as aulas será desastroso sem vacinação !

    Responder
  • Maria José De Oliveira Vaz
    02/09/2020 20:59

    Esses erros e acertos de Israel, só reforça as incertezas que vivemos.

    Responder
  • Solange Neves rocha
    02/09/2020 22:21

    Aqui no Brasil mesmo em quarentena nao respeitam os protocolos…imagina se voltar as aulas…vai ser uma tragédia…á

    Responder
  • Maria Neusa Soares Pavan
    02/09/2020 22:38

    muitas ações precisam ser tomadas antes do retorno às aulas. A equipe escolar precisa sentir-se muito segura, do contrário será catastrófico em vários aspectos.

    Responder
  • ROSEMEIRE DE SOUZA MOREIRA SANTOS
    02/09/2020 22:43

    Se voltarmos sem uma vacina eficaz, nossa experiência será muito pior de que a de Israel.
    Que medo.

    Responder
  • Regimara de Souza
    02/09/2020 23:08

    Exemplos do que é certo e errado não faltam. Basta se informar para não cometer os mesmos erros

    Responder
  • Valéria Aguero Capecci
    02/09/2020 23:54

    Que a vacina seja descoberta!

    Responder
  • Devemos retornar somente depois da vacina, e analisando muito bem cada situação de faixa etária por exemplo.

    Responder
  • Anna Siciliano
    03/09/2020 00:32

    Precisamos nos sentir seguros , os estudantes também . Da forma como está fica muito difícil e arriscado o retorno .

    Responder
  • Rosangela Von Mühlen
    03/09/2020 00:42

    Teremos que retornar em algum momento.

    Responder
  • maria Regina
    03/09/2020 01:57

    Muito dificil pensar na possibilidade de contrair a doença sem um bom sistema de saúde. è o que provavelmente acontecerá . Estas informações montram que em paises de terceiro mundo a volta respeitando os protocolos de segurança não acontecerão.

    Responder
  • Rosemaire
    03/09/2020 01:59

    Com tantas informações a respeito da gravidade do vírus, um país cometer tantos erros, expondo vidas, não podemos fazer o mesmo.

    Responder
  • VERA LUCIA CARDOSO
    03/09/2020 11:05

    Já temos vários exemplos negativos de países que retornaram as aulas presenciais, cabe aos nossos governantes agirem com prudência e cuidado.

    Responder
  • Marcia Morales Catalano Simões
    03/09/2020 11:56

    Novamente nossa estrutura física é um item importante para se pensar nesse retorno: nossas escolas não possuem ar condicionado, mas sim janelas, porém, na grande maioria delas, por serem de construções antigas, são de ferro e não abrem adequadamente, impossibilitando assim a circulação do ar necessária para manter a ventilação natural no ambiente. Novamente, sem vacina, é temerário.

    Responder
  • Luciane Nunes de Lima
    03/09/2020 12:32

    Muito arriscado retornar sem vacina! Pois o risco de contágio é grande levando em consideração que as crianças são assintomáticas ! Muito complicado…

    Responder
  • Moniqui CM Ceratti
    03/09/2020 14:22

    Priorizar a vida é essencial.

    Responder
  • Moniqui Ceratti
    03/09/2020 14:24

    Vida em primeiro lugar.

    Responder
  • Daniela Taís Ferreira de Melo
    03/09/2020 14:35

    Retornamos sem vacina seria um risco muito grande a todos. Nesse momento, não é possível retornarmos com segurança.

    Responder
  • Aqui no Brasil só devemos voltar depois que tiver a vacina, voltar antes vai ser muito perigoso para todos.

    Responder
  • Ana Paula Neves do Nascimento
    03/09/2020 16:54

    Temos que refletir muito sobre as experiências e apresentá-las a população para que ela também tome decisões.

    Responder
  • Ana Lúcia Fernandes Teixeira
    03/09/2020 17:45

    É preciso muita cautela.

    Responder
  • Maria Encarnacion
    03/09/2020 17:53

    Acredito que será desastroso o retorno as aulas.

    Responder
  • Antes de tomar qualquer decisão é preciso rever todas essas realidades trazer para o conhecimento de todos para que não ocorram mais erros fatais ,não podemos cometer os mesmos erros.

    Responder
    • Sandra Mandarano
      04/09/2020 18:58

      Concordo com vc Solange, no Brasil muitas escolas com realidades bem diferentes. Dependendo da região, escola sem saneamento básico, outras com ventiladores e ar condicionado….

      Responder
  • Conceição de Maria Rodrigues Lopes
    03/09/2020 18:09

    Por isso é importante um retorno presencial somente com a aprovação de uma vacina eficaz e segura.

    Responder
  • Conceição de Maria Rodrigues Lopes
    03/09/2020 18:15

    Por isso é preciso cautela na decisão de um retorno presencial. Segurança e respeito à vida em primeiro lugar.

    Responder
  • Se precisar voltar, deve deixar a educação infantil de fora.

    Responder
  • No atual momento que estamos vivendo é fulcral ressaltar a importância se conscientizar sobre a situação mundial e acompanhar o trabalho das autoridades politicas frente ao enfrentamento da pandemia.
    É importante analisar exemplos de países que avançaram no tratamento da doença e a partir dos seus resultados dos seus resultados, sejam ´positivos ou negativos extrair lições e politicas publicas para aplicar no Brasil.
    Israel é um ótimo exemplo de país que tomou medidas positivas, mas também errou em alguns aspectos no combate ao corona vírus.
    Esses erros podem custar vidas e por isso devem ser evitado ao máximo. Analisadas as estatísticas para obter dados concretos do que fazer ou não mediando o combate a pandemia.

    Responder
  • É importante analisar exemplos de países que avançaram no tratamento da doença e a partir dos seus resultados dos seus resultados, sejam ´positivos ou negativos extrair lições e politicas publicas para aplicar no Brasil.
    Israel é um ótimo exemplo de país que tomou medidas positivas, mas também errou em alguns aspectos no combate ao corona vírus.
    Esses erros podem custar vidas e por isso devem ser evitado ao máximo. Analisadas as estatísticas para obter dados concretos do que fazer ou não mediando o combate a pandemia.

    Responder
  • Israel é um ótimo exemplo de país que tomou medidas positivas, mas também errou em alguns aspectos no combate ao corona vírus.
    Esses erros podem custar vidas e por isso devem ser evitado ao máximo. Analisadas as estatísticas para obter dados concretos do que fazer ou não mediando o combate a pandemia.

    Responder
  • Eliade de Fátima Roberto
    03/09/2020 21:06

    Seremos uma segunda Israel sem vacina

    Responder
  • o retorno das aulas sem uma vacina é uma proposta arriscada, as escolas públicas e muitas particulares não possuem o espaço físico adequado e nem os materiais para seguir todos os protocolos necessários p-ara uma volta segura.

    Responder
  • Liese Pereira Santos Souza
    03/09/2020 21:17

    Concordo que temos que voltar em algum dia, mas não de qualquer maneira.

    Responder
  • Marlene Terzi de Moura
    03/09/2020 21:23

    Israel nos mostra que devemos antes de mais nada, sem dúvida nenhuma, estarmos conscientes, quanto é necessário todas as medidas de segurança e todos os protocolos, antes do retorno às aulas presenciais. A vida em primeiro lugar. sempre!!!

    Responder
  • Sonia Maria Martins Pozzi
    03/09/2020 21:43

    A vacina virá!!!

    Responder
  • Entre erros e acertos: são vidas em jogo! As decisões precisam ser humanizadoras!!

    Responder
  • Tais da Silva Amaral
    03/09/2020 22:19

    Sem a vacina é difícil acreditar em um retorno seguro.

    Responder
  • Regiane Aparecida Martinez
    03/09/2020 22:45

    É preciso muita cautela mesmo! Não podemos arriscar! Não sabemos quem é assintomático ou se ficaremos ruins podendo até chegar a morte! Nunca se sabe!

    Responder
  • Claudia Lumberg
    03/09/2020 23:11

    Espero que estes erros sirvam de exemplo para o Brasil e o mundo,para que não precisemos perder mais vidas em função da questão econômica.

    Responder
  • Audrea Simone Varella
    04/09/2020 01:01

    Atitudes absurdas tomadas em Jerusalém em prol da economia. mesmo na segunda abertura ainda pareceu faltar medidas extra de segurança.

    Responder
  • Esses exemplos nos ajudam além de pensar estratégicas de retorno a também pensar em como esse retorno precisa ser consciente.

    Responder
  • Israel fez uma tentativa a qual acabou com o aumento de contagios. Logo após teve que pensar como ter um retorno cuidadoso. Devemos aprender com quem já fez e errou para assim tentar errar o mínimo possível

    Responder
  • Israel fez uma tentativa a qual acabou com o aumento de contagios. Logo após teve que pensar como ter um retorno cuidadoso. Os países que temos visto retornando nós ensinam a pensar bem essa volta.

    Responder
  • Que a vacina aconteça!

    Responder
  • wanderlaine Fernandes da Silva Dias
    04/09/2020 13:03

    Infelizmente voltando sem uma vacina não vejo como ser diferente de Israel porque aqui ,nem temos ar condicionado e infelizmente muito menos janelas que abrem seus vidros por falta de manutenção.

    Responder
  • Sandra Mandarano
    04/09/2020 19:12

    Minha grande preocupação são mesmo os assintomáticos, podem estar inclusive entre os nossos familiares sem que saibamos. No Brasil vejo muitas famílias se reunindo novamente para comemoração de aniversários, almoços , abraços, idas à praia… Pessoas que tiram a máscara para conversar, muitos jovens se aglomerando todos sem máscaras como se não houvesse mais o perigo de contágio. No retorno às aulas o reencontro dos mais cuidadosos com os mais displicentes na manutenção do distanciamento. O que esperar desta convivência, sem a garantia do cumprimento mínimo dos protocolos sanitários estabelecidos ?

    Responder
  • Maria Eleni Teles Silva
    04/09/2020 19:19

    Ainda estamos num curva crescente de contágios e com o retorno isso será sem precedentes… ainda não podemos pensar num retorno sem antes estarmos seguros quanto aos riscos.

    Responder
  • assustador, temos como experiencia Manaus.

    Responder
  • Andrea Lúcia Figueiredo Oliveira
    04/09/2020 21:54

    É muito preocupante o retorno sem vacina, ainda tem muitos casos de contágio.

    Responder
  • PATRICIA TELES GONÇALVES
    04/09/2020 23:33

    A vacina é a primeira ação para o retorno sem ter maiores prejuízos, vidas são vidas, bom senso lembrando que são crianças que aprenderam que ter contato é importante, de repente voltar sem esse preparo sem essa cultura , só palavras não é suficiente é totalmente inviável.

    Responder
  • PATRICIA TELES GONÇALVES
    04/09/2020 23:34

    A vacina é a primeira ação para o retorno sem ter maiores prejuízos, bom senso lembrando que são crianças que aprenderam que ter contato é importante, de repente voltar sem esse preparo sem essa cultura , só palavras não é suficiente é totalmente inviável.

    Responder
  • Maria das Graças Viana Alves
    04/09/2020 23:50

    É importante se atentar aos acertos e erros dos outros países .

    Responder
  • Temo retornarmos antes da vacina, pois com nossa realidade o contágio será inevitável.

    Responder
  • Carolini ALmeida
    05/09/2020 00:26

    Um retorno seria muito preocupante.

    Responder
  • Angélica almeida
    05/09/2020 01:59

    Um retorno em meio às incertezas e sem teste em massa e sem vacina é muito perigoso a todos.

    Responder
  • Débora Aparecida Marson
    05/09/2020 02:06

    Se retornarmos sem uma vacina, o número de contágios será muito grande!
    Temos poucos recursos para seguir tantos protocolos.

    Responder
  • simone abdala hachuy
    05/09/2020 02:34

    NUM PÁIS COMPLETAMENTE TROPICAL,AINDA MAIS AGORA COM A ONDA DE CALOR COMO FICAR SEM AR CONDICIONADO OU VENTILADORES.
    AS SALAS SEMPRE FORAM NUMEROSAS ,ONDE VÃO COLOCAR ESSES ALUNOS SE A DISTÃNCIA IDALA SERIA 2 METROS.

    Responder
  • Sonia Aparecida de Brito Franco
    05/09/2020 02:54

    Baseado nas experiências de outros países, temos que pensar com cautela, pois estamos falando de vidas. Num período normal de aula, muitas escolas não possuem ventiladores e sabemos que as crianças interagem constantemente com seus colegas e professores. Vai ser muito complicado.

    Responder
  • DORACI ALVES DE SOUZA
    05/09/2020 03:04

    No Brasil também será desastroso sem a vacinação em massa.

    Responder
  • Edneusa Silva de Oliveira Sales
    05/09/2020 12:08

    Retomada total, talvez, nem após a vacina…

    Responder
  • Marjorie Paula de Oliveira
    05/09/2020 22:14

    É um situação delicada, de um lado a economia e de outro vidas preciosas. Sendo difícil opinar o que seria melhor a fazer. Mas com certeza não seria dessa forma como fez Israel e, sim tentar um retorno gradual tentando seguir os protocolos. Mesmo assim, correndo um grande risco. O fato preocupante são os assintomáticos que são nossos educandos crianças e jovens.

    Responder
  • O que vemos é a falta de bom senso, voltar às aulas por conta da economia do país, essa a preocupação.
    Não existe preocupação nem com educação, muito menos com as vidas.

    Responder
  • Ninguém sabe o que faz isso sim…

    Responder
  • Edileuza
    06/09/2020 10:47

    Mais um exemplo de retorno precipitado. No Brasil os efeitos seriam imensamente piores.

    Responder
  • Lucineia
    06/09/2020 19:12

    Precocemente,retornar as aulas foi um erros mas que acreditou-se na esperança.
    Na verdade o que percebi foi que o pais fez testes iniciando do “todo” para o “pouco’.
    Conforme foi colocado num dos comentários acima, os assintomáticos é que devemos dar atenção,pois não sabemos a veracidade de ter Covid ou não.

    Responder
  • ELAINE FERNANDES FERREIRA
    07/09/2020 15:57

    Podemos agregar o que deu certo ao contexto brasileiro no retorno em 2021.

    Responder
  • Iara Aparecida da Silva Arruda Romano
    07/09/2020 16:27

    Essa é uma preocupação, voltar ou não as aulas, eu acredito que sem vacina estaríamos sendo imprudente e colocando nossas vidas e as das nossas crianças em risco.

    Responder
  • Muitas medidas não deram certo e foram adequadas. Mas aqui no Brasil muitas medidas dificilmente serão possíveis adequadar devido a estruturas das escolas, número insuficientes de profissionais para realizar higienização dos locais e o próprio distanciamento social que muitos não levam em consideração. Retornar as aulas sem a vacina, todos estaram expostos.

    Responder
  • Retornar as aulas sem a vacina, todos estarão expostos.

    Responder
  • Marcela Barbosa Ribeiro
    07/09/2020 19:39

    Quem tem que aprender com os erros de outros países são nossos governantes que querem pressionar o retorno as aulas. Eu, como professora e cidadã, tenho consciência do grande estrago que irá nos acometer, caso voltemos sem vacina.

    Responder
  • Enquanto não houver vacina contra o novo covid-19 não é seguro retomar as aulas presenciais.

    Responder
  • Elisangela
    08/09/2020 12:30

    É exatamente isso, para o retorno as aulas precisa de toda uma estrutura com condições mínimas para que a doença não se espalhe em grande proporções.
    O momento é de se esperar…

    Responder
  • Eliana Ribeiro de assis
    08/09/2020 17:08

    Muito preocupante retornar sem vacina, será muito difícil para as crianças da educação infantil fazer afastamento social.

    Responder
  • DIANA CRISTINA DE PAULA VALENTINUCI
    08/09/2020 18:01

    Prova de que todo cuidado com a volta às aulas é pouco.

    Responder
  • Difícil pensar em um retorno seguro sem vacina.

    Responder
  • Maria Aparecida de Lima e Albuquerque
    08/09/2020 20:06

    Salas pequenas, sem ventilação, sem segurança de como será esse retorno, acho difícil acontecer.

    Responder
  • Edenilda Carvalho Sousa de Godoy
    09/09/2020 13:41

    Uma retomada sem a certeza da eficacia da vacina quando a mesma for liberada, ainda assim é arriscado, porém temos essas pesquisas para não errarmos se for preciso retornar sem a vacina.

    Responder
  • Alzira Anese
    10/09/2020 10:20

    Há que se ter muito cuidado com a retomada das aulas. Entendo que os pais precisam da escola para retornar ao trabalho, porém não há nenhum protocolo que se consiga seguir com criança bem pequenas.

    Responder
  • Cicélia Costa
    10/09/2020 11:28

    Eu imagino como não seria a volta as aulas no Brasil, já que as pessoas não respeitam protocolos e acham que a doença não existe mais, se aglomerando em festas e espaços públicos…

    Responder
    • Existiu uma negligência aos cuidados básicos em Israel da mesma forma como se observa aqui no nosso país. Quando estamos na rua podemos reparar o pequeno número de pessoas com máscaras, a justificativa é o calor…

      Responder
  • SALOAN DE LIMA
    10/09/2020 17:54

    Nem precisa de ir tão longe como Israel, basta olhar Manaus!

    Responder
  • Claudia M. Ferreira
    10/09/2020 21:37

    Após ler atentamente o texto que aborda a retomada das aulas em Israel, pude observar que muitas medidas de segurança não foram aplicadas num primeiro momento o que, causou a elevação do casos de Covid-19 e, foi necessário que, se desse um passo atrás para poder rever os erros e corrigi-los. Comparando com a pressão imposta de forma implícita pela União, bem como a pressão sofrida abertamente por parte dos governadores e prefeitos para que retomem as aulas, não seria leviano dizer que os casos de transmissão da doença iriam ascender sensivelmente no país. Tendo como agravante que, a escola pública em sua grande maioria ainda, não dispõem de estrutura física, de pessoal e financeira para seguir os protocolos sanitários como devem ser seguidos. Um outro ponto que deve ser levado em consideração é o fato de que, tanto os estudantes, seus familiares, professores, gestores escolares e demais funcionários que trabalham dentro do ambiente escolar não passaram por um inquérito sorológico para saber quem está com a doença, porém encontra-se assintomático, quem já teve, qual o índice de contaminados para que com os resultados em mãos possa ser analisado e , a partir daí verificar qual seria o memento mais oportuno para uma retomada das aulas em segurança a vida, pois este é o maior bem que devemos proteger, pois em vida e saúde não há escolas, alunos, economia, entretenimento, ou seja, sem vida não há nada, só a desolação total.

    Responder
  • karina de souza vitor
    11/09/2020 02:03

    Israel se precipitou num retorno precoce ás aulas. Acho que deveriam ter esperado um pouco mais a situação se estabilizar. Além do mais, erraram em algumas atitudes em relação á preparo dos locais e uso de EPIS.

    Responder
  • Elisabete Marques de
    11/09/2020 02:27

    No Brasil não vai se diferente. Outros interesses estão acima da vida. No momento a prioridade são as eleições. Há uma falsa sensação de que acabou a Pandemia. Feriadão,praias e bares lotados. Logo chega outra onda. E espero que a vacina chegue logo e para todos.

    Responder
  • Alessandra Rainha
    11/09/2020 13:58

    Israel nos mostra como uma volta sem as devidas providencias pode gerar uma catástrofe total, antes de pensar em retorno precisa adequar os espaços físicos, ter uma plano de ação pensando na preservação da vida de todos.

    Responder
  • Thais de Souza Santos
    11/09/2020 15:41

    Volto a bater na tecla, sem vacina é um erro tentar voltar, ainda mais se os casos só continuam a crescer.

    Responder
  • voltar com os alunos somente com vacina

    Responder
  • Elizabete Avelino
    11/09/2020 23:46

    Antes de tomar qualquer decisão é preciso rever todas essas realidades trazer para o conhecimento de todos , não podemos correr riscos que podem ser fatais ,conteúdos podem ser revistos,vidas não.

    Responder
  • Luciana Ulba
    14/09/2020 14:07

    É importante conhecer os erros e acertos que ocorreram em outros países e começarmos a pensar como será quando chegar a hora das escolas reabrirem por aqui.

    Responder
  • Não podemos cometer o erro de Israel,por isso é preciso cautela.

    Responder
  • Tamires de Assis Lima Martins
    14/09/2020 19:00

    O retorno sem medidas cautelosas conduz o país a regredir e perder tudo o que foi conquistado. Vemos nos diferentes casos o perigo que o retorno representa.

    Responder
  • Talita Consentino Ayres
    15/09/2020 00:19

    Retorno sem condições de seguir todos os protocolos, é uma estratégia que virará uma tragédia.

    Responder
  • Fernanda
    15/09/2020 14:16

    Questões de políticas públicas poderão fazer com que ocorra o mesmo aqui no Brasil

    Responder
  • Marines Dumont
    15/09/2020 22:00

    A experiência, com sucessão de erros de Israel mostra um verdadeiro desastre. A minha preocupação aqui no Brasil é ouvir alguns epidemiologistas afirmando que as crianças são assintomáticas e que a possibilidade de transmissão é menor… menor, mas real. No caso da escola de Israel, a quantidade de estudantes e professores foram contaminados, porém estavam assintomáticos. Para quantas pessoas eles podem ter transmitido o vírus? Complicado…

    Responder
  • ROSEMEIRE DE OLIVEIRA SOUZA
    15/09/2020 23:39

    Realmente eu espero que possamos observar os erros de outros países e aprender com eles,pois temos essa vantagem de ver o que deu certo ou errado,muitos países não tiveram essa oportunidade, se as ações forem tomadas no momento certo,não será questão apenas de acertar,mas de salvar vidas.Vidas que importam,não podemos esquecer dos grandes casos de assintomáticos,o ensino poderemos recuperar,é as vidas?

    Responder
  • MEIRY PASCOALINA MACIEL
    16/09/2020 14:58

    Para retornar as aulas, muita coisa tem que ser mudada, tanto no aspecto humano, como nos estrutural e material.

    Responder
  • Juracy Valeriano Dutra Marcial
    16/09/2020 16:53

    Conhecendo os erros e acertos de outros países, temos mais chance de acertar já que ainda não reabrimos. Apesar de que na minha opinião não está na hora de reabrir, tendo em vista que os números de contaminados continua oscilando muito, e a maioria das crianças são assintomáticas

    Responder
  • Paula Costa
    18/09/2020 00:23

    Um retorno sem as devidas medidas de manutenção revistas e trocadas será impossível, pois em minha sala muitas janelas não abrem na “maçaneta”.

    Responder
  • Aparecida
    18/09/2020 02:48

    Retorno precipitado, sem os devidos cuidados.

    Responder
  • Maria da Aparecida Oliveira Cordeiro
    18/09/2020 20:32

    Não consigo nem imaginar o meu medo, se tiver que voltar sem vacina.

    Responder
  • Analúcia de Carvalho de Sá
    21/09/2020 14:13

    Estamos tendo vários exemplos de retorno as aulas presencias em outros países. É importante lembrar que cada país tem sua especificidade. Acredito que o mundo anseia pela vacina contra a COVID-19, mas enquanto isso não acontece, precisamos seguir a risca as normas de segurança exigidas.

    Responder
  • Edileusa
    21/09/2020 23:56

    Sem a vacina infelizmente nossa experiência pode ser pior do que Israel.

    Responder
  • Bruna Carolina de Oliveira
    22/09/2020 15:01

    Cada vez mais que olho para nossa situação vejo grande esforço politico para a realização de eleições seguras e vejo poucos esforços em retorno de atividades escolares que atenda aos protocolos de segurança.

    Responder
  • Ana Maria Urquiza de Oliveira
    23/09/2020 11:19

    É importante observar os acertos de outros países, bem como os erros, a fim de não repeti-los em espaços diferentes.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu