A hora de voltar à escola

Gestão Escolar

A hora de voltar à escola. Nada mais será como antes. Gestores e professores precisam pensar, desde já, como preparar o espaço físico para retomar as aulas presenciais com segurança

2020 vai entrar para a história da Educação como um ano de desafios. Depois do imenso esforço para se adaptar a um modelo de aulas remotas fortemente baseadas nas ferramentas digitais, os educadores e gestores agora concentram suas energias no planejamento de um novo “normal” no ambiente escolar para permitir o retorno às aulas presenciais com segurança e sem riscos de retomada da pandemia.

No Brasil, não é diferente.

Embora ainda não se tenha previsões confiáveis de quando isso vai acontecer, em algum momento as aulas presenciais serão retomadas. Os especialistas são unânimes em afirmar que os gestores precisam pensar em seus planos de segurança desde já, mesmo que as autoridades oficiais ainda não tenham traçado regras. Segundo eles, cada escola deve encontrar seu caminho. Quando as normas oficiais vierem, muitas coisas já terão sido planejadas e, o que for diferente, poderá ser adaptado.

Para ajudar nessa tarefa, o Educador360 começa, a partir de hoje, uma série trazendo tudo o que está sendo adotado por escolas nos países que começam a sair da pandemia e a retomar as aulas. Para iniciar a série, fomos descobrir como as escolas estão se adaptando na China, país onde a Covid-19 começou.

Na China, distanciamento e máscaras são obrigatórios

No sistema educacional chinês, todos os números são superlativos. Em todo o país, são 278 milhões de estudantes e 17 milhões de professores. O retorno às aulas presenciais começou a partir de maio, escalonado por fase de ensino, e com cada província trabalhando da sua maneira, em função da situação encontrada. Na imensa maioria do país, apenas os alunos dos ensinos Fundamental e Médio já retornaram. A Educação Infantil continua em isolamento e as Universidades começaram a voltar em junho.

Confira a seguir algumas medidas implementadas:

Esclarecimento dos alunos

Nos primeiros dias de retorno presencial, os professores explicaram aos alunos tudo sobre o vírus, suas formas de contágio, as medidas de segurança e a importância de respeitá-las.

Abraços estão proibidos

Os alunos não podem abraçar colegas no reencontro depois de 4 meses de isolamento. Nas salas de aulas onde isso era possível, as posições foram reformuladas para garantir a distância mínima entre os estudantes.

Máscaras são obrigatórias

 Todos os estudantes só podem circular nas dependências da escola com máscaras o tempo todo. A polícia faz barreiras na entrada com a finalidade de garantir o cumprimento da medida.

Barreira de verificação

Algumas províncias determinaram a implantação de tendas na entrada onde os alunos, antes de tudo, em grupos pequenos, são atendidos por funcionários treinados e paramentados com roupas, máscaras e telas faciais de segurança. Nessas barreiras, os alunos passam por desinfecção de roupas e calçados e têm a temperatura verificada antes de entrarem na escola.

Sensores de temperatura nos pulsos

Em Pequim, todos os estudantes foram obrigados a usar, dentro da escola, um sensor de pulso que mede a temperatura corporal constantemente e emite um alarme caso o aluno apresente febre, assim é possível identificar precocemente os sintomas. Em outras províncias, a medição de febre é feita pelo professor a cada 3 horas.

Sala de contenção

Em algumas províncias, as escolas criaram uma sala de contenção, para onde são enviados os alunos que apresentem febre acima de 37,50C, ou sintomas da Covid-19. Eles esperam lá, isolados dos demais. Se a febre não baixar, são encaminhados para atendimento no serviço de saúde, dessa forma conseguem contar o vírus com maior agilidade.

Desinfecção diária

Todos os ambientes da escola são desinfetados diariamente após o período das aulas. Além disso, quando chegam pela manhã, todas as crianças recebem álcool e pano para desinfetar suas carteiras e cadeiras antes de iniciar as aulas.

Aulas on-line

A educação continua sendo complementada por aulas e atividades remotas, mas o Ministério da Educação chinês está preocupado com os danos que as telas possam causar aos olhos dos estudantes e determinou que atividades digitais não devem exceder o total de 2h30 por dia, com limite máximo de 20 minutos contínuos por atividade.

Controle familiar

Além das medidas na escola, as famílias foram obrigadas pelas autoridades a preencher relatórios quinzenais onde reportam a situação de saúde dos adultos, ocorrência de febre ou sintomas de Covid-19, e viagens dos membros dentro do país ou ao exterior.

As medidas podem parecer bastante restritivas, mas até aqui têm dado bons resultados. No final de maio, em todo o país, apenas um caso de Covid-19 havia sido reportado entre alunos e professores. Outros 14 casos assintomáticos aguardavam confirmação de resultados.

6 Comentários. Deixe novo

  • Daniela Broio
    03/07/2020 16:33

    Momento preocupante, nossos recursos são poucos, não acho que podemos nos comparar com outros países, sendo que no Brasil, não o uso de máscaras acontece de forma correta

    Responder
  • Maria José De Oliveira Vaz
    04/07/2020 00:00

    No Brasil tudo é mais difícil e preocupante, principalmente na Educação Infantil,

    Responder
  • Maria Eleni Teles Silva
    06/07/2020 20:55

    Acredito que esse retorno deve acontecer com muita cautela, pois escola é ambiente de aglomeração, e isso se dá de forma inconsciente pelos pequenos, principalmente.

    Responder
  • Andrea Lúcia Figueiredo Oliveira
    14/07/2020 02:43

    No Brasil, é um grande desafio esse retorno. Falta recursos, grande número de alunos por sala…Na educação infantil não tem como não fazer o acolhimento com um gesto de carinho, sem contar que será uma nova adaptação.

    Responder
  • Estamos todos preocupados com o retorno, sem garantias que nao vamos nós contaminar. São muitas dúvidas e poucas respostas.

    Responder
  • Se compararmos o Brasil com outros países mais desenvolvidos, que têm mais condições de oferecer um retorno seguro para todos, ficamos preocupados pois não estamos preparados para oferecer as condições mínimas de higiene e limpeza. Tenhamos esperança de que tudo isso nos fortalecerá para a vida.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu