Após reabertura, África do Sul fecha as escolas novamente

Gestão Escolar

Após reabertura, África do Sul fecha as escolas novamente. Número de casos não cedeu no país africano. Ano letivo foi estendido para 2021.

O desafio de retornar às aulas presenciais continua trazendo muita ansiedade, tanto para as famílias quanto para as equipes escolares. Em algumas escolas privadas de São Paulo, pesquisas informais têm demonstrado que até 70% dos pais e mães não querem o retorno das aulas presenciais. O fechamento das escolas, ainda assim, não pode continuar por tempo indeterminado.

No nosso post de hoje damos continuidade à série sobre a reabertura das escolas ao redor do mundo. Depois de trazer as experiências de China, Dinamarca, Coreia do Sul, França, Nova Zelândia e Portugal, hoje vamos conhecer as medidas adotadas na África do Sul.

Com cerca de 14,2 milhões de estudantes, o país africano fechou suas escolas inicialmente em 19 de março. Em 8 de junho, por causa de necessidade de retomar a economia, as autoridades determinaram o retorno gradual, começando pelos estudantes do último ano dos ensinos Fundamental e Médio. Após a reabertura, porém, muitas escolas tiveram de fechar novamente porque 775 apresentaram casos de contaminação. Confira a seguir algumas medidas adotadas pelo país.

Instruções sobre higiene

 As aulas foram retomadas com a preocupação de orientar os jovens sobre as medidas de higiene mais eficazes contra o coronavírus. Houve uma preocupação muito grande nesse sentido pelo fato de muitas escolas, instaladas em zonas rurais, não terem acesso a água corrente.

Protocolo para frequência

Foram criadas regras rígidas para decidir quem pode frequentar a escola. Crianças e jovens com sintomas gripais ou de Covid-19 não pode ir para a escola. Na chegada, diariamente, eles respondem a um questionário sobre a situação de saúde deles e dos parentes próximos.

Aferição de temperatura

As equipes escolares medem a temperatura dos estudantes na chegada à escola.

Máscaras

O uso é obrigatório, tanto pelos alunos como pelos professores e funcionários. No caso dos docentes, eles também receberam telas de acrílico para se proteger em sala de aula.

Relacionamento social

O afastamento social foi instaurado e os jovens não podem se abraçar nem apertar as mãos.

Tamanho das turmas

Os grupos foram redimensionados para que nenhuma sala receba mais de 20 estudantes ao mesmo tempo.

Atendimento remoto

As aulas à distância foram mantidas, dessa maneira as famílias continuaram sendo atendidas, mesmo as que não puderam ou que optaram por não enviar os filhos para a escola.

Atividades em grupo

Todas as atividades culturais e esportivas, bem como as saídas pedagógicas, foram suspensas para evitar aglomerações.

África do Sul fecha as escolas novamente

A África do Sul é o país africano com maior número de infectados pela Covid-19, com mais de 470 mil casos e 7.497 mortes (até julho). Como os números não cedem, o governo determinou, em julho, um novo fechamento das escolas durante o mês de agosto e anunciou a extensão do ano letivo para 2021.

129 Comentários. Deixe novo

  • Maria Eleni Teles Silva
    12/08/2020 23:00

    São essas experiências que o Brasil precisa observar antes de optar pela volta as aulas, pois estamos a todo momento vendo países abrindo e fechando escolas devido ao aumento no número de infectados.

    Responder
    • manoela.frug
      13/08/2020 11:28

      LIVE de hoje, às 17h: Quais medidas foram tomadas para segurança e apoio ao volta às aulas?

      “Alguns países estão saindo da crise com sistemas educacionais mais fortes,
      enquanto outros têm sistemas destruídos. A questão que está se mostrando
      relevante é, portanto, resiliência. A natureza recompensa quem é mais resiliente
      e consegue se adaptar.” ( Andreas Schleicher – diretor da educação OCDE)

      https://www.youtube.com/watch?v=0t623z61-mM

      Responder
    • Cristina Domingos Mendonça
      01/09/2020 18:38

      Precisamos ter muita cautela na abertura.

      Responder
    • Juracy Valeriano Dutra Marcial
      01/09/2020 23:24

      Precisamos ter consciência, se ainda nem estamos em queda da pandemia, não deveríamos voltar.

      Responder
    • Não concordo em retorno, para poucos alunos, a desigualdade só aumenta.

      Responder
  • Ana Lúcia
    14/08/2020 00:14

    Precisamos de muita cautela.

    Responder
  • Ana Lúcia
    14/08/2020 00:17

    A situação é bem delicada.

    Responder
  • Ana Lúcia
    14/08/2020 00:19

    A situação é difícil

    Responder
    • Realmente precisamos ter cautela.

      Responder
    • Obrigada Mind Lab por trazer temas pertinentes ao momento q estamos vivendo.

      Responder
    • Pamela Aparecida Leal Silva
      10/09/2020 04:24

      Devemos observar a atitude e reorganização dos outros países e buscar experiências significativas para nos auxiliar nas tomadas de decisões aqui no Brasil.

      Responder
  • E preocupante se as escolas do Brasil voltar às aulas pois as nossas escolas não têm infraestrutura adequada para tal epidemia.

    Responder
  • Mônica Reis
    19/08/2020 20:23

    Sem vacinação, é impossível reabrir as escolas!!

    Responder
  • Sem vacina todos os profissionais da educação e alunos ficam vulneráveis.

    Responder
  • Natália Reys Rodolfo
    20/08/2020 02:39

    Acredito que as investigações sobre a COVID-19 permanecerão por algum tempo e a instabilidade de informações reflete nas decisões políticas de retorno as aulas. Desta forma temos que ser sensatos e humanitários ao decidir expor pessoas ao vírus.

    Responder
  • Lucia Rodrigues
    20/08/2020 12:32

    Enquanto não tiver a vacina fica complicado voltar.

    Responder
  • Realmente precisamos ter cautela para um retorno seguro.É sempre bom saber como outros países que já retornaram e quais problemas enfrentaram.

    Responder
  • Receio que isso aconteça se insistirmos no retorno esse ano.

    Responder
  • Ana Lúcia Lopes da Silva
    20/08/2020 18:52

    Acredito ser necessário muita cautela no retorno presencial as aulas, para que crianças e funcionários tenha suas vidas preservadas. Não adianta fazer um retorno enquanto o número de casos ainda continua crescendo, pois a tendencia, é aumentar a incidência de casos, já que as crianças menores não conseguem seguir todos os protocolos de higiene e segurança.

    Responder
  • Débora Aparecida Marson
    20/08/2020 19:10

    O momento é muito delicado para retornar as aulas! Sem vacina creio que seja inviável um retorno presencial.

    Responder
  • Eliane Carvalho de Sousa
    20/08/2020 19:30

    O Brasil precisa observar essas situações de reabertura e fechamento para não fazer o mesmo, na medida que estamos sem obedecer ao isolamento fica difícil retornar.

    Responder
  • Maria José Piva Junqueira
    20/08/2020 21:32

    Esse é nosso medo real voltarmos mesmo com protocolos rígidos e mesmo assim nossas crianças se contaminaram e nós professores também. Muito complicado nesse momento.

    Responder
  • Maria José De Oliveira Vaz
    21/08/2020 00:21

    Este acesso que estamos tendo as experiências de diversos países é muito importante pois só reforça que não estamos prontos para esse retorno e que os interesses econômicos estão sempre acima tudo.

    Responder
  • Situação muito difícil, mas devemos priorizar a saúde e o bem estar de todos. Temos exemplos nesse período de escolas que retomaram as aulas e precisaram fechar novamente pelo contágio. Então porque arriscar ?

    Responder
  • Maria Encarnacion
    21/08/2020 14:57

    Precisamos nos espelhar nos outros países.

    Responder
  • Elaine Finavaro
    21/08/2020 16:01

    Tudo se recupera, menos a vida.
    Concordo com a cautela

    Responder
  • Thais de Souza Santos
    21/08/2020 16:22

    Acredito que caso voltemos as aulas presenciais, pode acontecer conosco o mesmo que aconteceu na África, as medidas tomadas não poderão impedir novos contágios.

    Responder
  • Gisele Alves Cruz
    21/08/2020 18:27

    Muitos países tendo que fechar novamente por conta da nova onda de contaminação e de casos ascendentes. Triste realidade.

    Responder
  • Regimara de Souza
    21/08/2020 18:31

    Essa realidade é bem mais parecida com a nossa. Já da pra ter uma prévia do que aconteceria aqui com o retorno das aulas

    Responder
  • Maria Aparecida de Lima e Albuquerque
    21/08/2020 19:57

    Não precisamos repetir os erros de outros países, as experiências deles já nos bastam para saber o resultado.

    Responder
    • Andressa Cristina Coutinho Barboza
      24/08/2020 15:48

      Concordo com Maria Aparecida. Conhecendo nossa realidade e diante destas experiências, é preciso ter muita cautela para fazer o retorno presencial às aulas com segurança.

      Responder
  • E preocupante essas medidas ,,,

    Responder
  • Elaine Fernandes Magalhaes
    21/08/2020 21:19

    O Estado e município, terão que fazer investimentos para que as crianças possam retornar com segurança.

    Responder
  • Precisamos pegar esses exemplos. Não tem necessidade de arriscar mais vidas e causar uma tristeza maior do que o que já estamos vivenciando.

    Responder
  • Acredito que se voltarmos acontecerá o mesmo. Escolas públicas não tem condições de fornecer por 3 meses todo o aparato necessário à proteção.

    Responder
  • Marcela Barbosa Ribeiro
    23/08/2020 03:53

    Importante observarmos países que tentaram retornar e essa ação não deu certo. Serve de exemplo para nossa situação, para pensar e repensar nosso retorno.

    Responder
  • Andrea Lúcia Figueiredo Oliveira
    24/08/2020 00:59

    É importante levar em consideração as experiências dos países que retornaram e fecharam, serve de base para que não é o momento do retorno. Cautela, sim.

    Responder
  • Silvania
    24/08/2020 17:23

    Todos precisam tomar ciência do risco,cada um tem que assumir um compromisso frente ao combate a covid-19

    Responder
  • Silvania
    24/08/2020 17:24

    Cada um tem que assumir um compromisso frente ao combate a covid-19.

    Responder
  • Damásio R.
    24/08/2020 21:57

    como temos observado sempre que se comenta sobre o retorno das atividades sem garantias de saúde é preocupante, não somente na realidade dos africanos, mas na brasileira também, retomar as atividades diante de uma situação a qual não apresenta melhorias, apenas estabilidade, é insálubre

    Responder
  • É preciso ter muito cuidado e pensar na responsabilidade de um possível retorno toda vida é valiosa, antes pandemia já existiam vários problemas na educação agora só aumentaram colocando em risco todos os envolvidos.

    Responder
  • É preciso ter muito cuidado e pensar na responsabilidade de um possível retorno toda vida
    é valiosa, antes pandemia já existiam vários problemas na educação agora só aumentaram colocando em risco todos os envolvidos.

    Responder
  • ROSEMEIRE DE SOUZA MOREIRA SANTOS
    25/08/2020 16:35

    Contínuo afirmando e esperando por um milagre de uma vacina, covid-19 não é brincadeira

    Responder
  • Fabiana Reis Souza Almeida
    25/08/2020 17:42

    Vamos torcer pra que tudo isso passe e que as medidas de higiene estejam sempre presentes.

    Responder
  • Jocelei Arruda
    25/08/2020 19:38

    O que temos visto é que em todos os países tiveram que voltar a fechar as escolas, portanto não há como justificar correr mais risco do que já estamos correndo no Brasil. Em 2021 recomeçaremos com segurança.

    Responder
  • Claudia M. Ferreira
    25/08/2020 20:27

    Pude observar que embora as condições de higiene na África do sul como no brasil sejam semelhantes, escolas sem água corrente, em suas torneiras, mas o enfoque dado pelo governo foi diferente. Isto é, o ensino continua híbrido, alunos não podem apertar as mãos e se abraçarem, enfim há uma consciência por parte da sociedade. Contudo, aqui em nosso país as pesquisas informais mostram que os pais das escolas particulares preferem que o filho não retorne presencialmente esse ano, o que é bastante pertinente. Concluindo, o fato do governo da África do Sul poder estender as aulas presenciais para 2021 mostra-se bastante prudente, pois o foco é a preservação da vida.

    Responder
  • Elizabete S. da S. Avelino
    25/08/2020 21:55

    Realmente é necessário ter cautela para um retorno seguro.

    Responder
  • Elisângela Laurindo
    26/08/2020 15:12

    Sem dúvidas, o foco do momento é a preservação de vidas!

    Responder
  • Daniela Bortolan
    26/08/2020 15:34

    Não temos condições de voltar com as aulas presenciais, neste momento.

    Responder
  • Sandra Dias Okamoto
    26/08/2020 17:02

    O Retorno deve ser consciente com recursos suficientes EPIS medidas de protocolos sanitários devidamente respeitados .
    Acredito ainda que a maioria das escolas públicas brasileiras ainda não estão preparadas .

    Responder
    • ROSEMEIRE DE OLIVEIRA SOUZA
      02/09/2020 00:07

      Infelizmente a situação do Brasil é semelhante a da África do Sul,já percebemos que nesse caso nao basta apenas orientar sobre a pandemia ,o correto são as medidas rígidas,o isolamento,as barreiras sanitárias,o controle através das testagens em massa.

      Responder
  • Simone Avelino
    26/08/2020 18:46

    Tomara que tudo isso que vem acontecendo seja o estopim para mudanças na educação brasileira. Que estamos longe da igualdade de oportunidades para todos sempre foi discutido. Porém agora foi escancarado. Na questão do abre e fecha, é fato que isso é mais prejudicial. Todos na comunidade escolas ja tem vivido com angústias, ansiedade e pouco tem se discutido a situação do professor diante da pandemia. Parece que a mídia acha que estamos confortáveis em casa assistindo a angústia dos alunos, quando na verdade temos vivido momentos de dúvidas e incertezas do quanto podemos realizar para fazer a diferença no nosso trabalho. Além do mais, quantos professores já foram afetados diretamente pela pandemia, seja financeiramente ounou sua vida pessoal!?!

    Responder
  • Talvez a África do Sul seja o único país apresentado nesta formação com uma realidade parecida com a do Brasil. E lá, como visto, a tentativa de reabertura não deu certo.

    Responder
  • Iara Aparecida da Silva Arruda Romano
    26/08/2020 22:21

    Eu também concordo que a abertura das escolas nesse momento, é uma total inrresponsabilidade.

    Responder
    • ROSEMEIRE DE OLIVEIRA SOUZA
      02/09/2020 00:11

      Infelizmente a situação do Brasil é semelhante a da África do Sul,já percebemos que nesse caso nao basta apenas orientar sobre a pandemia ,o correto são as medidas rígidas,o isolamento,as barreiras sanitárias,o controle através das testagens em massa.

      Responder
  • Adriana Rocha
    27/08/2020 00:07

    A volta as aulas é um desafio público, com total responsabilidade da escola e familiares.

    Responder
  • Fernanda Azevedo da Silveira
    27/08/2020 13:05

    Esse é outro exemplo que mesmo com diversas medidas, ainda teremos muitos casos, é preciso ter muita cautela…e como no Brasil, o saneamento não é universal, como se dará essa higiene?

    Responder
  • Helena Regina de Santana
    27/08/2020 13:32

    O Brasil de certa forma se aproxima da Africa. Precisa ter cautela para esse retorno para não vivenciarmos nova onda do COVID19.

    Responder
  • Vera Lucia Ludwig Ramos
    27/08/2020 14:32

    A volta as aulas com segurança só poderá acontecer após vacinação em massa,não acredito em outra forma de proteção.

    Responder
  • Antonia Couto
    27/08/2020 15:16

    Uma hora vamos ter que retornar, mas é importante que isso acontece após todos serem vacinados.

    Responder
  • Marlene Terzi de Moura
    27/08/2020 15:39

    Como podemos ver, temos que ter muita responsabilidade no retorno às aulas presenciais, vide o caso da África do Sul, que apesar de tomadas todas as medidas e protocolos de segurança para o retorno às aulas, teve que fechar as escolas novamente, pois o número de infectados não cedeu.

    Responder
  • Tamires de Assis Lima Martins
    27/08/2020 17:38

    Lendo sobre os retornos de alguns países que concluímos como é perigoso o retorno agora, no caso do Brasil, que não temos nem dimensão do número de contaminados. Pelo inquérito realizado no município de SP das crianças de 4 a 14 anos, 69,5% são assintomáticos, um número bem preocupante. Muitas crianças e adolescentes convivem com pessoas do grupo de risco, e isso representa um perigo.

    Responder
  • Vanessa Cabral de Faria
    27/08/2020 17:55

    Falando apenas da cidade de São Paulo e Grande ABC, se retornássemos hoje daqui duas semanas teríamos que fechar novamente nossas escolas, pois não estamos com a disseminação do vírus controlada.

    Responder
  • Cleide Aparecida da Silva Brito
    27/08/2020 18:46

    No Brasil,não será diferente caso o governo determine o retorno as aulas sem a vacina.

    Responder
  • Marcia Morales Catalano Simões
    27/08/2020 18:50

    Não podemos correr o risco…é necessário uma vacina e protocolos possíveis de serem executados.

    Responder
  • Marines Dumont
    27/08/2020 20:41

    Na verdade o que ocorreu foi consequência de tomada de decisões precipitadas em detrimento da economia. Enquanto a prioridade não for a manutenção da vida, os prejuízos serão imensamente maiores que econômicos

    Responder
  • Edneusa Silva de Oliveira Sales
    27/08/2020 21:50

    Sem comentários…

    Responder
  • Reabrir e fechar novamente! Assim como a África do Sul, corremos este risco se retornarmos sem vacina…

    Responder
  • SIMONE ABDALA HACHUY
    28/08/2020 00:35

    Muitos estudos e dados mostram que em outros países não funcionou o retorno as aulas com segurança.

    Responder
  • Lucineide Oliveira
    28/08/2020 00:58

    São muitas dúvidas e preocupações que nos aflingem.Tudo se recupera,menos a vida.Não temos condições de voltar com as aulas presenciais neste momento.

    Responder
  • Talita Consentino Ayres
    28/08/2020 12:15

    Esses textos tem sido bem interessantes, pois podemos comparar as realidades de cada um, que são diferentes.

    Responder
  • Lucineia
    28/08/2020 13:12

    Acredito que a Africa do Sul foi precipitada em retomar as aulas, tanto é que houve aumento de casos e em alunos. Todas as medidas que aqui são relatadas igualam as de outros paises. A diferença é que quem tem mais recursos melhor a prevenção e tomada de medidas.

    Responder
  • Alessandra
    28/08/2020 16:28

    A classe menos favorecida é a que mais sofre em todo mundo com essa pandemia.

    Responder
  • A economia precisa virar no entanto, vidas são colocadas a prova com esse movimento. Tal como na África do Sul que reabriu as escolas, mas que teve q voltar atrás devido ao aumento dos casos.

    Responder
  • Zoraide Carpanez Benzi
    28/08/2020 19:14

    A África é um bom exemplo de que se neglicenciarmos, não tivermos rigor nas medidas preventivas pode ocorrer uma segunda onda de contaminação. Os protocolos : aferição, máscaras, álcool gel, lavagem das mãos é sempre importante, mas com crianças pequenas muitas vezes são utópicos.

    Responder
  • o índice do Brasil também não cede como o da Àfrica do Sul.

    Responder
  • Claudine Salles de Godoi
    28/08/2020 23:39

    O Brasil precisa observar os países que já lutam contra o vírus a mais tempo. Na maior parte deles o retorno ocasionou a alta do índice de infectados, mesmo com todos os protocolos adotados e muito parecidos entre si.

    Responder
  • Por isso, temos que nos basearmos nos países que estão parecido com o Brasil quanto ao controle da pandemia.

    Responder
  • Marlene B.
    29/08/2020 16:11

    Para que possamos retornar com segurança, o ideal e voltarmos após a vacina.

    Responder
  • Luciana Ulba
    29/08/2020 17:05

    Acredito que neste momento a escola pública não está preparada para o retorno, é preciso ter cautela e observar o que aconteceu em países cujo retorno foi precoce Há muitas questões a serem observadas para obtermos um retorno seguro para todos.

    Responder
  • Carolini Almeida
    31/08/2020 01:28

    Lamentável. Que situação complicada que estamos vivendo. Esta experiência da África do Sul serve de alerta para o Brasil se precaver.

    Responder
  • Maria Aparecida Cirilo
    31/08/2020 18:52

    Concordo com Ana Lúcia Lopes da Silva

    Responder
  • Márcia Conceição Alves
    01/09/2020 00:11

    Temos que ter cautela ao retornar as aulas, o Brasil tem que observar o que acontece em outros países, com o grande números de casos, acredito que temos que manter a calma, não estamos preparados para abertura das escolas.

    Responder
  • Paula Costa
    01/09/2020 17:20

    É muito bom sabermos os vários exemplos que os países tiveram com o retorno as aulas, assim como uns foram positivos tem o outro lado da moeda também, os que não deram certo. Muita cautela teremos que ter.

    Responder
  • Cristina Domingos Mendonça
    01/09/2020 18:40

    Precisamos ter muita cautela na abertura, observar como reabriram em outros lugares e o que aconteceu após a reabertura.

    Responder
  • Maria Aparecida Rodrigues Mendes
    01/09/2020 20:43

    A globalização e fronteiras abertas facilitaram a expansão do vírus. Agora o momento é de prudencia, e aguardar a vacina ou medicação que combata a inflamação. Perder o ano letivo não é nada, diante da perda de tantas vidas…

    Responder
    • ROSEMEIRE DE OLIVEIRA SOUZA
      02/09/2020 00:10

      Mais cautela,é prudência,vidas podem ser poupadas,a pressão e a antecipação podem ter consequências desastrosas

      Responder
  • Saloan Lima
    01/09/2020 21:51

    Cautela e prudência deveriam ser as palavras de ordem!

    Responder
  • ANA MARIA BATISTA DOS SANTOS
    02/09/2020 02:31

    Voltar especialmente a educação infantil é temeroso, mesmo cumprindo alguns protocolos e impossibilitados de cumprir distanciamento e máscaras , apesar de já divulgados em estudos a inviabilidade do uso de máscaras em crianças até 5 anos

    Responder
  • Audrea Simone Varella
    02/09/2020 20:41

    O caso da África do Sul, foi muito imatura a retomada as aulas por causas econômicas, mas não é diferente do Brasil que é capaz de colocar as perdas e baixas na economia por conta de não termos uma data definida para o retorno. Triste!

    Responder
  • Elisabete
    02/09/2020 22:31

    As medidas de segurança que foram adotadas não foram eficazes o suficiente. Salas com 20 alunos em plena Pandemia….
    Resultado. Novo crescimento no número de casos.

    Responder
  • Ana Paula Neves do Nascimento
    03/09/2020 01:41

    a decisão é difícil, o retorno sem vacina é complicado.

    Responder
  • Fernanda
    03/09/2020 11:26

    Sem vacina, fica difícil controlar essa pandemia

    Responder
  • Luciane Nunes de Lima
    03/09/2020 12:12

    Sem a vacina e com a possibilidade de retorno às aulas é provável que o Brasil passe pela mesma situação !

    Responder
  • Moniqui CM Ceratti
    03/09/2020 14:10

    Precisamos ter cautela, parece que como temos visto em experiências de outros países, ainda não é hora de voltar, sem que aja a vacina.

    Responder
  • Moniqui CM Ceratti
    03/09/2020 14:11

    Como temos visto em experiências de outros países, ainda não é hora de voltar, sem que aja a vacina.

    Responder
  • Moniqui CM Ceratti
    03/09/2020 14:12

    Ainda não é hora de voltar, sem que aja a vacina.

    Responder
  • Moniqui CM Ceratti
    03/09/2020 14:13

    A vacina é essencial para um retorno seguro e definitivo.

    Responder
  • Alessandra
    03/09/2020 14:39

    Percebemos o quanto a condição social interfere na proliferação do vírus, devido à falta de condições sanitárias adequadas.

    Responder
  • Maria Aldineide do Bomfim
    03/09/2020 17:08

    20 alunos por turma não é uma aglomeração? A quantidade de criança a meu ver tem que ser repensada!

    Responder
  • Para o retorno das aulas é necessário muita responsabilidade, pois nesse momento atípico que estamos vivenciando é necessário garantir todos os protocolos de proteção á vida das crianças e funcionários.

    Responder
  • Eliade Roberto
    03/09/2020 19:43

    Essa é uma realidade que se aproxima da nossa ao falar de retorno as aulas, o cuidado deve ser redobrado, sabemos que pais dão remedio a noite e levam as crianças para a escola pela manhã mascarando um possivel mal estar,por isso quem e quantos irão levar e pegar a criança, como será a saida quem fará a aferição da temperatura e outras coisas que ainda devem ser pensadas…

    Responder
  • Aparecida
    03/09/2020 23:09

    Tempos difíceis!

    Responder
  • Sandra Mandarano
    04/09/2020 18:17

    O protocolo da família informar sobre possíveis sintomas é válido, porém não eficaz se pensarmos nas crianças que são assintomáticas. Digo o mesmo sobre a testagem de professores (tão mencionada aqui no Brasil) antes do retorno às aulas, já que o professor poderia se infectar no retorno para casa após a realização do teste, no dia ou semana seguintes. As experiências de outros países nos indica caminhos, pontos a serem considerados no retorno.

    Responder
  • Fernanda M. Brandão Sizilio
    04/09/2020 19:25

    Realmente a abertura precipitada, pode valer a vida de muitas pessoas, não temos estrutura material e funcionários suficientes para seguir todos os protocolos de higiene adequado , as crianças poderão ser um veículo de transmissão entre família e escola, visto que a maioria das crianças são assintomáticas. Temos que ter cautela e muita prudência.

    Responder
  • Juliana Fabien Vieira Telles Rudge
    04/09/2020 22:02

    Novamente a preocupação com a economia acima da saúde da população… Pois aqui a preocupação do governo foi/é a mesma e não conseguiu proteger nenhum dos dois. Apesar de terem iniciado pelos alunos mais velhos, não foi garantia para que todos estivessem protegidos. Infelizmente foi necessário expor tantas vidas para que percebessem que ainda não era possível a retomada das aulas.

    Responder
  • Maria das Graças Viana Alves
    04/09/2020 23:00

    É necessário muita cautela neste momento.

    Responder
  • Marjorie Paula de Oliveira
    05/09/2020 21:36

    Isso serve de exemplo para nós. A retomada precipitada com algo que é tão sensível e precioso a vida! Por isso, reforço agir com cautela Brasil.

    Responder
  • A situação que se tem é que mesmo seguindo protocolos de segurança para evitar o contágio, não é suficiente.

    Responder
  • Edileuza
    06/09/2020 10:30

    Um retorno precipitado leva a um aumento de infectados. Por isso é preciso cautela

    Responder
  • Elaine Ferreira
    06/09/2020 22:55

    Precisamos observar os acertos do retorno às aulas dos outros países e adaptá-los à realidade brasileira.

    Responder
  • jose rosangelo torres da silva
    07/09/2020 14:12

    O que mais choca com relação a africa do sul e o fato de mesmo com medidas serias de contingencia ao corona vírus, as aulas tiveram que permanecer suspensas, ainda mais sabendo que somente as series finais é que foram permitidas ao retorno, cabe uma reflexão a condição brasileira que por entender a educação como braço da assistência social irá propiciar retorno também a creche e ás crianças pequenas.

    Responder
  • EDJANE MARTINS S. MINIGHITI
    09/09/2020 17:11

    Triste saber que em algumas escolas rurais da Africa do Sul ainda não possuem água corrente…água encanada…infraestrutura básica para todo o ser humano. Muita desigualdade social. É muito preocupante essa pandemia e tanta desigualdade em todos os sentidos.

    Responder
  • São esses exemplos que devemos ter como base e não arriscar que ocorra o mesmo com nosso país…por isso acredito que sem vacina não tem como retornar as aulas.

    Responder
  • O modelo de prevenção é parecido com o modelo que querem apostar aqui com a volta e pelo visto entenderam que vidas não se apostam!

    Responder
  • Edileusa
    10/09/2020 22:29

    A vacina é essencial para um retorno seguro para todos!

    Responder
  • Elen Estrela de Lima Batista
    11/09/2020 17:59

    Só pelo fato de em alguns lugares eles não terem acesso a água corrente, já facilita em 100% a contaminação pelo vírus. No Brasil pode sim acontecer o mesmo! tudo deve ser muito bem avaliado antes de optarem pelo retorno das aulas, afinal estamos falando de vidas.

    Responder
  • Luciana Villani
    14/09/2020 12:16

    A África do Sul é um país com distribuição de renda desigual, muito similar ao nosso, incluindo problemas de saneamento básico. O ocorrido lá serve como parâmetro para o que possa ocorrer aqui caso as aulas retornem, mesmo alcançado o chamado platô.

    Responder
  • edina pedro
    15/09/2020 18:09

    A realidade atual coloca na vitrine a diferença social e econômica dos países.
    Os países que sofrem com questões de saneamento básico e falta de água terão maiores dificuldades para o enfrentamento da Covid-19. Pois, milhares no mundo não tem o básico para sobreviver.

    Responder
  • MEIRY PASCOALINA MACIEL
    16/09/2020 15:44

    Acredito que é por essa razão que o Brasil decidiu não voltar até agora

    Responder
  • JANETE M R VIEIRA
    18/09/2020 08:14

    Essas experiências são importantes para termos parâmetros por aqui também.

    Responder
  • Karla Alves
    18/09/2020 23:00

    A África do Sul é um país sócio-econômico mais parecido com o nosso, então, a comparação foi bem válida e já podemos perceber que a abertura trará contaminações.

    Responder
  • Lucilene Aparecida de Souza
    21/09/2020 16:16

    Acho complicado voltar antes de encontrar a vacina, ou que as instituições estejam preparadas para nos receber.

    Responder
  • Cautela antes de pensarmos em um retorno de forma segura, principalmente na Educação Infantil.

    Responder
  • Jane Cristina Alves de Moraes Lins
    21/09/2020 19:34

    Trabalho em duas prefeituras e vejo como existem diferenças de uma cidade para outra. Algumas escolas não possuem nem sabão, banheiros suficientes ou existem dias que estão sem água.

    Responder
  • Janaine Silva Espíndola Araújo
    21/09/2020 20:57

    para o retorno precisamos garantir o bem estar de todos .

    Responder
  • O grande desafio é: movimentar a economia e garantir o isolamento social e protocolos de segurança.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu