A família na volta à escola

Gestão Escolar

A família na volta à escola.

Nos últimos dois posts, o Educador 360 vem apresentando os resultados de uma pesquisa exclusiva realizada pela Mind Lab sobre o cenário encontrado por educadores e educadoras no retorno às aulas presenciais.

Assim, no primeiro texto, apresentamos os maiores problemas enfrentados por educadores e educadoras, gestores e gestoras escolares depois do retorno presencial às aulas. A principal dificuldade apontada na pesquisa é lidar os problemas emocionais causados nos alunos pelo longo período de pandemia.

na semana passada, o post abordou as maiores dificuldades entre processos de aprendizagem e aspectos pedagógicos. Nesse sentido, a concentração e o foco, seguidos pela alfabetização e letramento foram os campeões entre os resultados.

Hoje, vamos apresentar a parte da pesquisa que abordou a relação das famílias com as atividades escolares e os impactos da saúde mental de alunos e alunas e dessas relações familiares no desempenho escolar dos alunos.

A pesquisa quantitativa foi realizada pela Mind Lab entre os dias 28 de março e 15 de abril deste ano (2022).

Foram ouvidos 985 educadores e educadoras de 412 unidades escolares.

Desse total, 947 entrevistados atuam em escolas públicas, que respondem por 386 unidades escolares de 18 redes públicas estaduais e municipais.

A família na volta à escola

A terceira pergunta da pesquisa tinha por objetivo investigar como estavam se dando as relações dos familiares dos alunos e alunas com as atividades escolares..

A pergunta apresentada aos entrevistados era: “Sobre a relação dos familiares dos estudantes com a escola e suas atividades, qual tem sido sua percepção?”

Os educadores e educadoras podiam escolher entre 3 opções:

  1. Pouca ou nenhuma interação
  2. Média interação
  3. Muita interação

No resultado consolidado, 63% dos entrevistados tiveram a percepção de que as famílias mantiveram, desde o retorno às aulas presenciais, uma interação mediana com as escolas e suas atividades.

Para outros 30% houve pouca ou nenhuma interação e apenas 7% declararam perceber uma interação mais intensa por parte das famílias com a escola e suas atividades.

Públicas X Privadas

Na divisão dos dados entre escolas públicas e privadas, os resultados novamente mostram uma diferença significativa nos dois extremos das respostas.

Enquanto a média interação registrou os mesmos 63% tanto entre escolas privadas quanto nas públicas, os percentuais se inverteram quando o assunto era baixa ou alta interação.

Nas escolas públicas, apenas 6% dos respondentes declararam perceber alta interação dos familiares, contra 32% nas escolas privadas. Já a baixa participação registrou um alto percentual nas públicas (31%) e baixo índice nas privadas (5%).

Esse dado pode ser analisado como um reflexo da desigualdade nas condições socioeconômicas e nas expectativas das famílias em cada segmento. Aquelas que pagam pela educação tendem ser mais participativas e cobrar mais da escola.

Saúde Mental

Além da participação familiar, a pesquisa Mind Lab quis saber também de educadores e educadoras como eles e elas avaliam a interferência da saúde mental no rendimento de alunos e alunas.

Por isso, a pergunta colocada foi: “Você acha que a saúde mental dos alunos interfere no desempenho escolar deles?”

Os respondentes, tanto nas escolas públicas quanto privadas, foram praticamente unânimes em afirmar que sim.

Contudo, dos 985 entrevistados, apenas 2 escolheram o “não” como resposta a essa pergunta. Esses dois respondentes eram de escolas públicas.

A interação e o desempenho da família na volta à escola

Na última pergunta da pesquisa, a Mind Lab quis saber como educadores e educadoras enxergam a influência da interação familiar – ou a falta dela – no rendimento escolar dos alunos e alunas.

Dessa maneira, a pergunta apresentada foi: “Você considera que a falta de interação, ou interação entre familiares, alunos e escola interfere no desempenho escolar do aluno?”

No entanto, desta vez, 99% dos respondentes disseram acreditar que as relações familiares interferem no rendimento dos alunos.

Por outro lado, apenas 9 entrevistados escolheram o “não” como resposta a essa pergunta e, novamente, eram educadores ou educadoras de escolas públicas.

A sua opinião é fundamental

Sendo assim, agora que você conhece os resultados completos da pesquisa Mind Lab, nós gostaríamos de saber como eles refletem a sua realidade.

No campo para comentários, você pode deixar sua participação respondendo: para você, como a saúde mental de alunos e alunas influencia no rendimento escolar? E as relações familiares? Na sua escola, você notou maior ou menor participação das famílias após a pandemia?

Deixe seu comentário. Ele é muito importante para a Mind Lab.

Gostou do nosso post? Então, aproveite para seguir nossas redes sociais para ficar por dentro de todos os projetos da Mind Lab. Estamos no Facebook e no Insta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu