As dificuldades pós-pandemia

Gestão Escolar

As dificuldades pós-pandemia.

Em novembro do ano passado, nós já falávamos por aqui sobre as dificuldades que educadores e educadoras de todo o Brasil esperavam encontrar no retorno às aulas presenciais.

Naquela ocasião, uma pesquisa realizada pelo Instituto Península mostrava o que os professores acreditavam que seriam seus maiores desafios.

Hoje, três meses depois do retorno integral na grande maioria das escolas brasileiras, já é possível saber se as expectativas dos educadores foram confirmadas pela realidade.

Pesquisa Mind Lab

Uma pesquisa quantitativa realizada pela Mind Lab entre os dias 28 de março e 15 de abril deste ano (2022) mostrou exatamente quais são os maiores problemas enfrentados por educadores e educadoras, gestores e gestoras escolares depois do retorno presencial às aulas.

No total, foram ouvidos 985 educadores e educadoras de 412 unidades escolares.

A grande maioria dos entrevistados (947) atuam em escolas públicas, que respondem por 386 unidades escolares de 18 redes públicas estaduais e municipais.

O objetivo principal da pesquisa é determinar qual foi a maior dificuldade encontrada por professores e professoras no início da volta às aulas presenciais.

A maior dificuldade

A primeira das 5 perguntas apresentadas aos entrevistados pela pesquisa era:

“Qual a maior dificuldade encontrada no início da volta às aulas?”

Os respondentes podiam escolher entre 5 opções:
  1. Problemas estruturais da escola (conexão, computadores, internet)
  2. Seguir corretamente os protocolos sanitários
  3. Evasão de alunos
  4. Problemas de aspectos emocionais dos alunos – insegurança, medo, de retornar à escola
  5. Problemas de aspectos emocionais dos professores – insegurança, medo, ansiedade, entre outros

Para 42% dos entrevistados, tanto nas escolas públicas quanto nas privadas, os problemas emocionais dos alunos foram a maior dificuldade enfrentada.

A segunda dificuldade mais enfrentada foram problemas estruturais das escolas (alternativa A, apontada por 22% dos respondentes), seguida por problemas emocionais dos professores e professoras (alternativa E, com 18%).

Os entrevistados tiveram poucos problemas para seguir os protocolos sanitários (12%) ou de evasão de alunos (5%).

Públicas X Privadas

As questões emocionais dos alunos e alunas foram mais notadas por professores e professoras de escolas privadas (63%) do que por educadores e educadoras da rede pública (42%).

Essa relação se inverteu quando a dificuldade era com a infraestrutura da escola.

Apenas 8% dos respondentes de escolas privadas listaram problemas com conexão, computadores e internet, que foram apontados como dificuldade principal por 23% dos entrevistados oriundos da rede pública.

Esse dado mostra que, apesar dos esforços das redes públicas para equipar escolas durante a pandemia, a desigualdade no aspecto tecnológico seguiu alta.

Questões emocionais de professores e professoras

A pergunta que tentava medir o tamanho das dificuldades emocionais enfrentadas por professores e professoras no retorno às aulas presenciais também apontou um grande desnível entre os profissionais que atuam na rede pública e na rede privada.

Entre os profissionais das escolas públicas, 19% apontaram a insegurança, o medo e a ansiedade de educadores e educadoras como principal problema enfrentado no retorno. Um percentual bem superior ao dos colegas de escolas privadas que apontaram essas questões (8%).

Apesar da discrepância, essa resposta representa uma melhora nas questões emocionais dos profissionais da educação.

Em setembro de 2021, quando 2.500 desses profissionais foram ouvidos pela pesquisa do Instituto Península, 57% declararam que gostariam de contar com acompanhamento psicológico para retornar à escola com maior segurança.

Evasão escolar

Embora tenha sido citada pelo menor número de entrevistados, a questão da evasão escolar é um dado preocupante. Afinal, o desejável é que nenhuma criança ou jovem deixe a escola antes de concluir a educação básica.

Nas respostas levantadas pela pesquisa Mind Lab, o percentual de respondentes que apontou esse problema como o maior nas escolas públicas (6%) foi o dobro do apurado nas escolas privadas (3%).

Mais uma vez, denota o fenômeno da evasão como um problema histórico mais pronunciado nas redes públicas.

Outras questões

A pesquisa Mind Lab levantou também dificuldades específicas nos processos de aprendizagem e nos aspectos pedagógicos, bem como nas relações entre educadores e educadoras e os familiares de seus alunos e alunas e os reflexos dessas relações na aprendizagem de crianças e jovens.

Esses pontos, porém, já são assunto para o nosso próximo post, na semana que vem.

Enquanto aguarda, deixe seu comentário e responda: para você, qual foi a maior dificuldade encontrada no retorno das aulas presenciais? E a maior alegria?

Deixe seu comentário e até a próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu