5 novas tecnologias na educação: o futuro que já começou!

Gestão Escolar

Estamos vivendo a quarta revolução industrial e os impactos das mudanças em todos os setores são cada vez mais expressivos. De acordo com um estudo recente realizado pela consultoria McKinsey & Company, 14% da força de trabalho global terá de mudar para uma nova ocupação na carreira.

O LinkedIn divulgou esta informação considerando que: “cerca de 375 milhões de profissionais serão obrigados a desenvolver novas habilidades em função da automação e das novas tecnologias como internet das coisas, inteligência artificial, realidade aumentada e big data.”

Como sabemos, a educação está diretamente envolvida com esta realidade. Afinal, a passagem de um modelo mais analógico para um mais tecnológico não pode ocorrer de forma brusca. Por isto as escolas precisam garantir que esta cultura seja absorvida entre as crianças e adolescentes que logo irão se deparar com novos formatos.

Entenda as maiores tendências tecnológicas que já estão impactando escolas em todo o mundo e em breve estarão presentes em sua escola também!

 

Big data e inteligência artificial

Para desenvolver inteligência artificial, os computadores precisam ter acesso a uma grande quantidade de dados. Esse conjunto de dados é chamado de Big Data. Em outras palavras, eles são a matéria prima do aprendizado para as máquinas.

Com o tempo, espera-se que elas apresentem soluções cada vez mais úteis para demandas práticas dos seres humanos.

Na educação, uma das principais vantagens desse recurso é o do aprendizado personalizado. Considerando que cada aluno tem um ritmo e um estilo único de aprender, a ideia é que as máquinas otimizem este processo e permitam que os estudantes possam ir mais direto ao ponto de acordo com suas necessidades.

Outra perspectiva de vantagem é para a transdiciplinariedade. Como uma das principais tendências da educação, as matérias tendem a se interligar de maneira complexa. Para isto, será essencial poder cruzar dados que apresentem uma nova perspectiva do conhecimento com a ajuda da inteligência artificial.

 

Realidade Virtual e Realidade Aumentada

Entre as novidades tecnológicas mais promissoras para a sala de aula, estão a realidade virtual e a realidade aumentada. E apesar de próximos, muitas vezes esses conceitos são confundidos.

A realidade virtual representa uma completa imersão em um mundo que não existe. Hoje, os óculos de VR (virtual reality) são usados para criar esta experiência. Já a realidade aumentada faz o caminho inverso e acrescenta elementos virtuais ao contexto presente.

A princípio com foco em games e entretenimento, na educação também podemos ver uma possibilidade de aprendizado altamente interativo por meio destes recursos. Inclusive, entretenimento e educação podem se unir através do gamification, técnica que usa a cultura dos games para atingir determinados objetivos.

 

Transmídia

A transmídia permite que os conteúdos sejam acessados por diferentes mídias de forma complementar. Na prática, significa que os professores podem expandir suas aulas para muito além do formato da lousa e das apostilas.

Seja permitindo o uso dos próprios dispositivos dos alunos como celulares, tablets e computadores pessoais ou mesmo explorando outras mídias off-line.

Da mesma forma que é um grande potencial, existe o desafio de conectar informações e dados entre elas. Portanto a inteligência artificial precisa surgir como aliada neste processo.

A ideia é que o aprendizado se torne mais dinâmico e ative a autonomia de estudo em qualquer lugar.

 

“Bring your own Device”

Principalmente quando se fala de dispositivos pessoais, é comum que os professores tenham receio. Até agora eles são vistos como uma ameaça para o foco dos alunos durante as aulas.

Porém esta é uma outra tendência da educação que já possui até nome: BYOD. A sigla em inglês que significa “traga o seu próprio dispositivo”.

Isso porque é natural que os alunos se sintam mais confortáveis com o seu próprio espaço de trabalho digital. Diferente das antigas salas de informática, usar seu aparelho permite que os alunos aprendam a partir de um ambiente com o qual já possuem certa intimidade.

Também surgem cada vez mais aplicativos com foco educacional desenvolvidos por escolas, metodologias e empresas do setor.

 

Web Semântica

A web 3.0 é a evolução de uma internet de “armazenamento de documentos” para uma “web de dados”. O que sugere buscas cada vez mais complexas e refinadas pela internet.

Dando um passo adiante neste conceito, hoje também já podemos visualizar a web 4.0  onde a internet se conecta com os objetos do cotidiano. Também chamada de Internet das Coisas. Neste caso, os próprios objetos recebem e transmitem informações para melhorar a relação com tudo o que acontece na vida das pessoas.

Imagine por exemplo uma carteira que é capaz de medir o peso corporal e orientar a postura dos alunos. Esses dados poderiam ser enviados para o celular dos alunos ou professores, ajudando a se lembrarem de manter um estilo de vida mais saudável.

Nem precisamos mencionar o quanto a Web Semântica se conecta com a Big Data e a Inteligência Artificial.

 

Mais tecnologia para mais humanidade

Ao contrário do que muitos pensam, diante deste cenário, não nos tornaremos pessoas mais frias e robotizadas. Na verdade, a tecnologia torna ainda mais evidente a necessidade de reforçar as características humanas.

Afinal, não estaremos ensinando crianças para competir com máquinas e sim para usá-las a nosso favor. Dessa forma, nosso tempo e energia poderão ser melhor empregados em torno daquilo que somos melhores em fazer, como sermos criativos e nos conectar enquanto seres humanos.

Na dúvida, adapte a tecnologia da escola como um recurso que ajude seus alunos a desenvolverem competências únicas e profundas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu