Para desacelerar: por quanto tempo você consegue ficar desconectado

Gestão EscolarGestão Escolar

Você sabe dizer qual o impacto da internet no seu dia-a-dia? De fato, a conectividade é capaz de facilitar e acelerar diversas das nossas interações. Porém, quando em excesso, também pode deixar de ser aliada e se tornar vilã.

Não à toa, hoje já existem doenças provocadas apenas devido ao eu uso. Entre elas, a depressão causada pela comparação de nossas vidas com a de outras pessoas nas redes sociais. Há também o Transtorno de Dependência da Internet, quando o tempo online começa a atrapalhar os afazeres da vida cotidiana.

É por isso que, na contramão desse movimento, há pessoas se propondo à desconexão, parcial ou completa. Esse foi o caso de Susan Maushart, mãe australiana de 3 filhos e autora do livro “O Inverno da nossa desconexão”. O material surgiu após a família ter passado 6 meses sem nenhum acesso à internet ou qualquer mídia tecnológica em casa.

Entre as vantagens ela cita a maior interação em família e com amigos, além de concentração e foco em outras atividades.

Mas, e quando precisamos estar próximos do mundo online devido ao trabalho? Será que desacelerar nesse sentido também tem suas vantagens para líderes que possuem um constante desafio com relação à comunicação e gerenciamento de tempo?

Apesar da possível culpa inicial em se manter desconectado, sabemos que, quando não administradas, nossas relações tecnológicas sugam não apenas tempo como nossa energia de trabalho. Portanto, a resposta pode estar na ressignificação no lugar da eliminação completa de tudo o que nos conecta e é capaz de nos distrair.

Confira algumas dicas que visam mudar o olhar quanto a esse consumo digital e aumente sua produtividade por uma gestão de tempo mais equilibrada!

 

Aumente os tempos de intervalo off-line

Para quem busca se desconectar, mas não pode cortar totalmente o contato com a internet, é possível começar definindo intervalos offiline em seu dia. Especialmente durante a manhã, antes de sair para trabalhar durante os primeiros rituais do dia. Os momentos para preparar e comer com calma o café da manhã, meditar, fazer exercícios e ler podem ser propícios para se manter longe dos celulares e computadores.

Ou então, você pode substituir o tempo que você passava checando suas mídias, por esses novos hábitos. Outras horas interessantes para se manter em off, é antes de dormir e aos fins de semana. Nessas horas, você pode se permitir olhar menos para o celular sem culpa!

 

Prefira conteúdos profundos a estímulos rápidos

Apesar das distrações, a internet é uma fonte rica de conteúdo que te permite se manter informado e aprender. Então, que tal aproveitar o que há de melhor nesse recurso?  No lugar de checar vários estímulos rápidos como o seu feed nas redes sociais, busque assinar newsletters com notícias relevantes. Acesse sempre canais que tragam aprendizados e novidades na área da educação.

Ou seja, quando você decidir parar para realmente ficar online, aproveite para ler textos de blogs, materiais de e-books ou ainda assistir vídeos que agreguem verdadeiro valor para você a nível pessoal e profissional.

No fim, você pode perceber que será mais produtivo acessar menos conteúdos, em profundidade, do que uma série de assuntos rasos.

 

Troque algumas mensagens por chamadas ou conversas

Não é incomum nos vermos conversando por várias vezes com as mesmas pessoas durante o dia. Nesses casos, vale repensar se essas conversas não poderiam se tornar uma ligação por telefone ou mesmo um encontro presencial.

A primeira vantagem é otimizar seu tempo e tratar tudo de uma vez, evitando as sequentes distrações. A segunda, é a oportunidade para se conectar com os outros e melhorar a qualidade das suas relações.

No caso de solicitações pedagógicas ligadas à rotina escolar, verifique se não é o caso de agrupá-las em reuniões.

 

Evite o celular durante as refeições e reuniões

Há momentos de nosso cotidiano que deveriam ter nossa atenção plena. As horas das refeições e as reuniões são algumas delas. Porém, frequentemente paramos para analisar o celular. A própria ansiedade de sempre precisar fazer alguma coisa nos leva à busca constante de estímulos, até sem perceber.

Dessa forma, perdemos a oportunidade de ouvir e conversar com as pessoas em profundidade. Também perdemos o nosso estado de presença e relaxamento. Quem nunca comeu rápido demais apenas para responder mensagens ou ver coisas que no fundo, não possuiam prioridade imediata?

Analisar se você reproduz essa postura no modo “automático” também é um treinamento para se manter focado.

 

Diminua as notificações

Deixe ativadas apenas as notificações que considerar importantes. O que inclui desligar notificações de mídias sociais, notícias de portais ou aplicativos em geral.

Se possível, também mantenha em modo silencioso as notificações de grupos que mantém conversas frequentes.

Se for o caso, afasta-se um pouco dos aparelhos enquanto precisar de concentração para realizar outras atividades que exijam maior imersão.

E então, está será que chegou a sua hora de se desconectar um pouco e aumentar sua qualidade de vida? Deixe nos comentários se você acredita que essas dicas podem ser úteis para sua rotina e gestão escolar!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu