Comunicação e liderança nas escolas: a arte de se conectar para extrair o melhor das pessoas

Gestão Escolar

A comunicação é essencial para gerar fluxos de trabalho produtivos e um ambiente harmonioso. Afinal quanto mais rápida e clara ela puder ser, mais fácil poderemos achar soluções para os desafios que nos incomodam, tanto quanto enxergar novas oportunidades que antes não existiam.

Em uma escola, a postura dos gestores para com os cargos mais próximos se reflete na maneira em que os próprios professores se comunicam com os alunos. Não se trata apenas do que dizemos, mas também como agimos, nos posicionamos e até o que não dizemos.

Afinal, educação é sobre pessoas ensinando pessoas e a comunicação é uma das principais formas de se conectar de forma verdadeira.

Entenda como se expressar de forma clara e extrair o melhor das pessoas que te ajudam nesta importante missão de ensinar!

 

Ouça sempre que possível

“O conhecimento quer falar. A sabedoria quer ouvir.”

Haemin Sumim

As pessoas não estão acostumadas a ouvir com atenção. Boa parte das vezes elas apenas escutam esperando seu momento de falar. Os líderes também se confundem achando que devem falar mais do que todos e ter sempre a palavra final.

No entanto, a grande oportunidade de serem respeitados e até admirados está no processo de ouvirem com atenção o que cada um tem a dizer. No caso das escolas, os gestores podem focar em ouvir aqueles que estão em contato direto com o processo de aprendizagem como coordenadores, professores e até alunos.

No fim, são essas as pessoas capazes de fazer com que diretores compreendam os verdadeiros desafios do dia-a-dia. Além disso, elas te ajudam entender de forma mais realista as consequências por trás dos processos de decisão.

Vale lembrar que um grande problema de comunicação é que nem sempre compreendemos aquilo que estão tentando nos dizer. Para isto existe a técnica de repetir com suas próprias palavras o que você entendeu da mensagem transmitida. Na dúvida, sempre confirme com a outra parte envolvida se é exatamente isto o que ela tentou te dizer.

Isso demonstra não só que você prestou atenção mas também que faz questão de compreender o que foi falado.

 

Conexões para além do trabalho

As verdadeiras conexões não se constroem apenas a partir dos interesses de trabalho. Portanto, quando você se posiciona apenas como chefe e não demonstra atenção genuína pelas pessoas que estão por trás da função, logo se cria uma barreira.

É muito comum que isto aconteça em relações que envolvam hierarquia. É claro que é preciso respeitar o espaço da vida pessoal de cada um. Ainda assim, é sempre interessante compartilhar um pouco de quem você é por trás daquele papel.

Dessa forma, você abre espaço para que as pessoas também possam se expressar sobre si mesmas se quiserem. Neste processo, é possível que vocês descubram mais pontos em comum e com o tempo aumentem os laços de confiança que poderão se refletir na sinergia do trabalho.

 

Mudanças importantes podem incomodar

Nem sempre quando nos comunicamos, temos algo confortável ou agradável a dizer. Algumas vezes, os diretores precisam fornecer feedbacks negativos ou informar sobre algum problema.

Em geral, o que está por trás dessa situação é a mudança e a transformação que precisa ser ativada. Seja uma mudança de comportamento ou mesmo de atitude.

Ainda assim, é preciso garantir que a comunicação não se torne agressiva. Nessas horas, se atente especialmente para a forma como você conversa. Ou seja, escolher um ambiente propício e reservado no lugar de gerar exposições desnecessárias e até mesmo usar um tom de voz acolhedor, são atitudes que farão toda a diferença.

Outro erro talvez ainda mais grave, seja o de omissão dos problemas. Quando as coisas não estão bem e não nos comunicamos para evitar o possível “confronto”. Alguns usam até de táticas indiretas como mudar a forma de tratar a pessoa ou até mesmo puni-la, mas sem falar sobre o que se trata.

 

Ambiente não-punitivo

Para abrir espaço para que a equipe se comunique de forma verdadeira, o ambiente não pode ser punitivo. Tantos os coordenadores, quanto professores e funcionários precisam sentir que podem se abrir livremente. Seja para abordar um ponto sensível, expor uma dificuldade ou mesmo sugerir uma ideia inovadora.

Cabe aos gestores criar e incentivar esta cultura de comunicação que é capaz de conectar toda a comunidade escolar. Assim, todos trabalham mais felizes e motivados.

De que forma você permite essa conexão aconteça em favor de uma educação que impacte a todos positivamente?

 

2 Comentários. Deixe novo

  • Ana Cristina de Fraga Magalhães
    21/09/2018 13:04

    Bom dia.
    Gostaria de receber mais conteúdos interessantes como esse.

    Responder
    • Caroline Volodka
      21/09/2018 15:21

      Olá Ana, como vai?

      Fico feliz que goste dos nossos conteúdos! Para receber mais, basta assinar a nossa newsletter! Toda terça e quinta publicamos um artigo novo e você será notificada.

      Grande abraço.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu