Matrícula: Por que os pais mudam os filhos de escola?

Gestão EscolarMatrícula

Escolher uma boa escola é um desafio que envolve muitos critérios para as famílias. Entre os principais, está a qualidade do ensino. Porém, há outras coisas para se pesar na balança ao longo de um ano. Na prática, como saber o que os pais estão realmente considerando,  na hora de renovar a matrícula?

De acordo com a pesquisa realizada em 2016 pelo Instituto Hart Research Associates, de Washington, o bem-estar socioemocional dos filhos é a segunda maior preocupação dos pais, perdendo apenas para a capacidade de pagar os estudos.

Saiba mais sobre a pesquisa, com relação à motivação de pais e alunos. Além disso, descubra algumas dicas sobre o que pode ser feito para evitar a evasão escolar nesta época do ano!

 

Quando o socioemocinal influencia a decisão

No quadro abaixo, estão as principais preocupações que podem levar pais a trocarem seus filhos de escola, por ordem de prioridade. Dentro de cada uma delas, também há subcategorias mais específicas. O bem-estar social e emocional, por exemplo, contém o maior número de variações. Entre eles, está a pressão entre os colegas e o bullying.

 

Problemas de relacionamento – Os pais se preocupam quando o filho adolescente tem poucos amigos, não se enturma e não se com os professores.

Bullying escolar – Em geral, a primeira reação dos pais quando acontece bulluying na escola é pedir ajuda aos professores e direção. Se a instituição falha, ou não sabe como combater o bullying, a família pode descartá-la.

“Não quero ir para a escola” – Até os 10 anos, a criança deve gostar muito da escola. Quando ela começa a demonstrar resistência e quer faltar todos os dias, é sinal de que algo não vai bem.

Poucos desafios – A escola é boa, o aluno tem boas notas, mas ele acha que é pouco desafiado. Quando o aluno sente que poderia render mais, o pedido para a troca parte dele. E os pais quase sempre atendem. Um dado preocupante, nesse sentido, surgiu numa pesquisa realizada em 2015 pela Universidade Yale. Segundo o levantamento, quando perguntados sobre como se sentiam na escola, 75% dos jovens usaram palavras negativas. Em ordem crescente, as palavras que surgiram para representar o sentimento dos alunos com relação à escola foram: cansativa (39%); estressante (29%) e chata (26%).

 

Por trás das motivações

Diferente do que algumas pessoas podem pensar, esses fatores tidos como subjetivos são essenciais. Isso acontece porque estão diretamente ligados ao sentido de realização dos alunos e consequentemente dos pais.

Para quem tiver interesse em saber mais, poderá ler em nosso artigo sobre a Pirâmide de Maslow, a explicação por trás das necessidades humanas.

Ao realizar um comparativo entre as questões comuns a todos os seres humanos e as preocupações familiares, é possível perceber aspectos relacionados aos pilares como segurança, amor e pertencimento, além da estima pessoal de cada um.

 

Outros temas que preocupam

Além das questões ligadas às habilidades socioemocionais, confira outros temas que causam preocupação nos pais e podem levá-los a mudar o filho de escola.

Baixo rendimento – Notas baixas, mais do que um problema do aluno, são vistas pelos pais como indicativo de que a escola não está conseguindo atender às necessidades daquela criança ou adolescente para que ele conquiste uma aprendizagem significativa.

💡 Uma forma de auxiliar os gestores a identificar lacunas de aprendizado e aplicar uma melhoria constante é utlizar a chamada gestão por evidências. Leia mais sobre o tema aqui.

Qualidade do ensino – Os pais esperam boas notas nos exames nacionais e aprovação em vestibulares. Se esses indicadores falham, eles questionam a qualidade da escola.

Aumento da mensalidade – Aumento de preço sem melhoria no serviço faz os pais se questionarem. Afinal eles consideram que podem ter o mesmo nível de ensino em outra instituição, sem precisar pagar mais.

Atividades extracurriculares – Oferecer atividades que auxiliem no desenvolvimento do aluno, de preferência aliadas aos interesses deles. Isso demonstra preparo e torna sua escola mais competitiva. Eventos para a participação de pais, que ressaltem a importância da família na escola, também são muito importantes.

 

O que fazer para evitar a evasão na hora da matrícula?

Agora que você já conhece as principais razões relacionadas à matrícula, veja algumas dicas que preparamos para que você possa evitar essas situações:

  1. Tome sempre a iniciativa de se comunicar com a família. A proatividade mostra aos pais que a escola está atenta às necessidades da criança ou do jovem. Mesmo que existam problemas a serem resolvidos, esta é uma forma de demonstrar interesse em resolvê-los.
  2. Trabalhe com a sinceridade. A disposição para ter conversas francas e abertas, reforça as relações de confiança. Seja transparente em relação aos pontos positivos e negativos e apresente soluções que considerem a opinião dos pais e alunos sobre o assunto.
  3. Convivência em grupo também se desenvolve na escola. Inclua a educação socioemocional em seu currículo e melhore o bem-estar e desempenho dos seus alunos.
  4. Aprenda a agregar valor ao longo do ano. Nem sempre os pais possuem visibilidade de tudo o que acontece na escola. Portanto, reforce as qualidades e bons resultados ao longo do período letivo, para que no momento de rematrículas, restem menos dúvidas sobre a escola.

Aproveite as dicas deste post para repensar procedimentos de gestão e relação com os pais. E se tiver mais dúvidas, deixe seu comentário e nossos especialistas o ajudarão da melhor maneira possível.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu