Design Thinking na educação: um método de aprender e ensinar com empatia e criatividade

Gestão Escolar

O design thinking é um conceito que surgiu dentro da área de design mas que pode ser aplicado em qualquer outra. O significado é justamente o que o termo em inglês propõe: uma maneira de pensar através do design. Ou seja, com criatividade e simplicidade, em busca de múltiplas soluções possíveis e sempre com foco nas pessoas. Muito usado por empresas para criar novos produtos ou estratégias e também para inovar, essa maneira de pensar também se aplica muito bem à área da educação porque propõe acima de tudo, construção e comunicação coletiva com empatia.

A empatia vem do esforço para sintetizar informações e se comunicar com o outro com clareza ao se colocar em seu lugar de entendimento da situação. Diferente de  transmitir uma ideia da maneira que te convenha, o Design Thinking propõe um olhar mais cauteloso a partir de uma conexão mais intensa e produtiva.

É uma maneira de organizar ideias em busca de soluções práticas, mas também pode ser uma maneira de transmissão e absorção de determinado conhecimento. Para isso, o Design Thinking faz uso dos elementos visuais para literalmente desenhar a ideia por meio de fluxos, organogramas, símbolos, cores, títulos, entre outros (método chamado de visual thinking).

Uma outra forma de pensar, é a de que o visual thinking te ajuda a contar uma história por meio de desenhos ou elementos visuais. Por isso é que a abordagem além de sintetizar e esclarecer, também é leve e mais divertida.

A organização e ênfase hierárquica desses elementos também ajudam na assimilação das informações de maneira mais rápida.

Lembrando que por mais que seja associado ao desenho, pode (e deve) ser usado por não designers também. No fim, o desenho é só uma ferramenta de auxílio para a transmissão da ideia e não há necessidade de ser complexo. Então, não é feito para ser apenas esteticamente atraente, mas acima de tudo, funcional.

Veja abaixo, um quadro de Design Thinking que traz insights justamente sobre Design Thinking.

Fonte: Design Culture

 

Fases do processo de Design Thinking

Apesar da proposta de desenvolvimento da criatividade ser maior do que qualquer fórmula pronta, o design thinking também traz algumas fases com base em níveis.

No quadro abaixo, são trazidas 5 fases da descoberta até o nível de evolução.

Nesse caso, os níveis aplicam-se especialmente para resolução de problemas e busca de soluções.

Fonte: Design Thinking para Educadores

 

Design thinking para gestores, professores e alunos

Quando pensamos em transmitir uma mensagem ou conteúdo, especialmente dentro da área da educação, logo nos vem à cabeça a relação de professor-aluno,geralmente sendo o professor um transmissor do conteúdo e o aluno um receptor.

Porém o Design Thinking estimula não apenas a troca por meio de uma comunicação fácil e coerente, mas também a organização dos seus próprios pensamentos, ideias e planejamentos.

Dentro da escola, ele pode ser usado tanto por gestores, quanto professores ou mesmo alunos, seja em grupos ou individualmente. Afinal, antes de ser uma ferramenta de conexão com os outros, o design thinking também pode ser uma ferramenta de visualização do seu próprio conhecimento.

Se alguém não consegue visualizar e organizar o que sabe, entendendo níveis de importância e prioridade, além de ser capaz de realizar assimilações práticas, dificilmente essa pessoa terá capacidade de transmitir esse conteúdo adiante.

 

Quem e como pode usar Design Thinking na educação

Gestores:

Gestores podem realizar seu planejamento escolar e desenhar suas principais estratégias através do design thinking. Também podem usá-lo para mediar reuniões com professores, tornando-as mais leves e produtivas. Além disso, ainda é um recurso de formação pedagógica através de treinamentos e oficinas.

Um exemplo é quando você resolve adotar uma nova metodologia de ensino em sua escola. De forma muito simplificada, você poderia desenhar um círculo central que resuma o propósito dessa nova metodologia. Ao desenhar flechas ao redor desse círculo, é possível apontar para pilares que a sustentam. Dentro de cada pilar, também podem haver subitens menores.

Assim os professores poderão entender a essência dessa ideia de forma muito mais rápida.

 

Professores:

Para os professores, o design thinking pode ser usado antes, durante a após a sala de aula. Antes, durante o seu planejamento que pode ser tanto de aulas em si quanto de sua carreira, se atentando para estudos e habilidades que eles mesmos precisam para evoluir. Durante, para explicar conceitos aos alunos e desenvolver uma aula mais interativa entre eles, inclusive propondo atividades em que os alunos desenvolvam o design thinking em grupos. Após, para entender métodos de avaliação e mensurar melhor os resultados.

 

Alunos:

Na sala de aula em contato com os professores, os alunos podem se beneficiar de um conteúdo transmitido de maneira mais atraente.  Dessa forma, não só irão aprender através do design thinking, mas também irão aprender o design thinking em si e até passar a utilizá-lo. Seja para organizar conhecimentos e estudar ou até para visualizarem outros pontos de suas vidas e resolver problemas em geral.

Para além das expectativas, os alunos também podem ensinar uns aos outros e se ajudarem entre si. Afinal, não há melhor forma de aprender do que ensinar.

De acordo com uma matéria da Descola: “Ao se aplicar o DesignThinking na educação, o estudante é colocado como ator do processo, e não mais como simples receptor de informações. Ele vai analisar o problema, expressar seu ponto de vista, expor suas dificuldades e propor soluções. Tudo isso é feito coletivamente, para que o estudante compartilhe das múltiplas abordagens para um mesmo problema: nenhuma resposta é perfeita, e as melhores soluções surgem quando se reúnem perspectivas aparentemente divergentes. Assim, o Design Thinking promove a colaboração e a empatia.”

 

Hora de testar!

Mudar processos e adaptar novidades à realidade do cotidiano, de início, pode não parecer tarefa fácil. Porém, todos os educadores podem se enxergar como designers, enquanto criadores de novas realidades diante de um “papel em branco” no processo de aprendizagem.

O Design Thinking é uma abordagem extra que pode deixar as aulas não apenas mais eficazes como também mais divertidas!

 

 

 

1 Comentário. Deixe novo

  • Parece interessante… os alunos autistas aprendem melhor com esta nova metodologia. Os desenhos liberam a criatividade e melhora a visao do processo

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu