Trabalhar em equipe: os estudantes brasileiros e a OCDE

Gestão Pedagógica

“Os estudantes brasileiros podem aprender a trabalhar em equipe se desenvolverem habilidades socioemocionais.” Poderíamos reescrever assim a chamada do Jornal Bom dia Brasil de hoje cedo na TV Globo, quando trouxe para a grande mídia o resultado do relatório publicado ontem pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que mostra o Brasil em  51º lugar entre 52 países avaliados.

É um resultado vergonhoso – o Brasil ficou à frente apenas da Tunísia – principalmente se levarmos em conta as necessidades que despontam este ano e no próximo por conta da BNCC, que está em trâmites de aprovação. Para quem não sabe, a BNCC, Base Nacional Comum Curricular, passa a orientar que sejam desenvolvidas 10 competências na matriz curricular das escolas, sendo 4 delas 100% socioemocionais. A resolução colaborativa de problemas foi um dos principais componentes avaliados pela OCDE no PISA 2015 e é também uma das competências exigidas na implementação da nova BNCC.

Os jovens de melhor desempenho foram os do Japão, Cingapura e Hong Kong. No mesmo ranking, praticamente todos os países latino-americanos aparecem melhor posicionados do que nós. A avaliação foi realizada com 125 mil jovens, de 15 anos, de ambos os sexos, em 52 países, no ano de 2015. O relatório foi publicado ontem no site da OCDE, podendo seu resumo ser conferido aqui.

É a primeira vez que a OCDE publica um relatório que analisa como os estudantes trabalham em equipe para resolver problemas e suas atitudes em relação à colaboração e convivência com o outro, no que diz respeito a diferenças, atividades extraclasse e histórico social.

A OCDE também aproveita para recomendar, em sua publicação oficial, que os sistemas educacionais melhorem suas ações no sentido de promover essas habilidades sistematicamente no currículo da escola, pois o mundo privilegia cada vez mais as habilidades sociais. “Os pais e a sociedade em geral também devem desempenhar seu papel. É preciso colaboração em uma comunidade para desenvolver melhores habilidades para melhores vidas”, afirmou Angel Gurría, secretária-geral da OCDE.

Pesquisa no Brasil

Estudos recentes realizados pela Mind Lab avaliaram de forma integrada as habilidades socioemocionais, a resolução colaborativa de problemas e o desempenho dos alunos em Matemática. Ao avaliar cerca de 3.000 estudantes no Brasil, no ensino fundamental e médio, o estudo realizado com a colaboração da plataforma de avaliação Primeira Escolha, revelou que os estudantes que se percebem mais ansiosos têm maior dificuldade em resolver problemas e trabalhar em equipe, apresentando desempenho 10% menor em matemática e os alunos com melhor percepção de suas habilidades tiveram desempenho 25% melhor em matemática e se mostraram mais colaborativos na hora de resolver problemas.

Segundo a OCDE, a proficiência em matemática e leitura está associada a melhor resolução de problemas porque “o gerenciamento e a interpretação de informações e a capacidade de argumentar são necessários para resolver problemas”.

Os países com bom desempenho em resolução de problemas têm estruturas de aula que promovem maior interação durante o aprendizado das disciplinas comuns. Percebemos que as aulas nas quais há incentivo da colaboração entre pares têm impactos positivos sobre essa competência – afirmou o Diretor de Educação da OCDE, Andreas Schleicher, complementando que políticas que incentivem prática moderada de atividade física e promovam atividades sociais que impulsionam o engajamento dos alunos podem contribuir para o desenvolvimento da habilidade de resolver problemas em equipe.

Um resultado como este pode indicar problemas para o futuro do nosso país e para os próprios alunos, impactando na empregabilidade, renda (segundo informações trazidas pelo Instituto Ayrton Senna, quem possui essa habilidade desenvolvida, ganha em média 20% a mais no mercado de trabalho), construção de relacionamentos estáveis, autocuidado e exposição a riscos. A BNCC é uma oportunidade para melhorarmos nossas aulas e fazermos da nossa escola um espaço de desenvolvimento das habilidades socioemocionais de alunos.

Eu quero saber mais!

Se você já sabe sobre a BNCC e deseja entender como os especialistas da Mind Lab podem ajudar você a aplicá-la em sua escola, preencha seus dados abaixo que entraremos em contato.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu