Retrospectiva 2018 na educação: reveja os principais acontecimentos do ano

Gestão EscolarGestão Escolar

Seguindo o ritmo do ano anterior, com grandes mudanças na Educação (principalmente a homologação da BNCC para o Ensino Infantil e Fundamental), 2018 também teve marcos importantes no ensino brasileiro.

Muitas dessas transformações ainda não foram implementadas, mas apontam para novos nortes em nosso modelo educacional. Entre elas, diretrizes estruturais como a BNCC do Ensino Médio recém-aprovada pelo CNE. Porém, também é válido recordar momentos inspiradores como a presença da ativista Malala no país pela primeira vez.

Reveja alguns dos acontecimentos mais marcantes e saiba o que esperar para o ano que vem!

 

✏️ Lei inclui educação alimentar no currículo escolar

Em Maio de 2018, foi publicada a lei que define a educação alimentar e nutricional como parte da grade curricular nas escolas públicas e privadas de todo país. No entanto, não haverá uma disciplina voltada para este conteúdo, que deverá ser incluído nas aulas de Ciências e Biologia.

A nova diretriz foi muito comemorada por nutricionistas de todo o país. Afinal, a escola representa um espaço onde começam a se formar os hábitos alimentares das crianças. Entre os fatores positivos, sabemos que além de ajudar a combater problemas como a obesidade e doenças, a nutrição saudável afeta diretamente as capacidades cognitivas e a produtividade dos alunos.

 

✏️ Mudanças no Sistema de Avaliação da Educação Básica

MEC e Inep anunciaram em Junho deste ano, mudanças no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que deverá entrar em vigor em 2019. O Sistema se manteve sem revisões desde 2001. A partir de agora, passará a avaliar todo o percurso regular da Educação Básica, incluindo o Ensino Infantil.

Entre as principais influências da mudança, está a BNCC aprovada para os Ensinos Infantil e Fundamental. Sendo assim, os estudantes do segundo ano por exemplo, serão avaliados segundo parâmetros de alfabetização definidos pela Base. Isso porque a nova meta foi antecipada para os 7 anos de idade, que culmina nessa fase escolar.

Já as crianças nas creches e pré-escolas não terão provas ou testes. Elas serão avaliadas com mais precisão de acordo com questionários destinados a professores e dirigentes.

 

✏️ Malala no Brasil pela primeira vez

Vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 2014, a paquistanesa Malala Yousafzai se tornou símbolo da luta pelo direito à educação de meninas em todo o mundo.

Pela primeira vez no Brasil em Julho de 2018, sua presença ajudou a fomentar o debate em torno das desigualdades de gênero em nossa sociedade.  Além disso, está fortalecendo movimentos e trabalhos já existentes por aqui.

Malala também anunciou a integração de líderes feministas brasileiras à Rede Gulmakai, iniciativa do Fundo Malala. A ativista se comprometeu em focar nos projetos especialmente voltados à região Nordeste do país.

A rede já atua em países como Afeganistão, Líbano, Índia, Nigéria, Paquistão e Turquia. A parceria no Brasil é o início de um movimento de diálogo com a América Latina. Vale lembrar que hoje temos mais de 1,5 milhão de meninas fora da escola no país.

 

✏️ Aprovado EAD (Ensino à Distância) parcial para o Ensino Médio

O CNE (Conselho Nacional da Educação), aprovou novas diretrizes para o Ensino Médio em Novembro. Entre elas, a possibilidade de cursar até 20% da carga horária à distância, chegando até 30% para o ensino médio noturno.

É também indicado que a modalidade EAD seja aplicada especialmente sobre o conteúdo diferenciado previsto na Reforma (60% da carga horária do Ensino Médio será normal e 40% composta de itinerários formativos, de acordo com matérias optativas escolhidas pelos alunos).

 

✏️ Brasil cai para último lugar no ranking de status de professores

A pesquisa divulgada pela Varkey Foundation, entidade dedicada à melhoria da educação mundial, apontou o Brasil em último lugar do ranking no quesito valorização dos professores. A pesquisa foi realizada entre 35 países e mostra que decaímos ainda mais com relação ao ano passado. Em 2017 ocupamos a penúltima posição entre os 21 pesquisados.

Por aqui, menos de 1 a cada 10 brasileiros acredita que os professores são respeitados em sala de aula. Entre os principais motivos, acredita-se que estão: o modelo educacional obsoleto atrelado à má formação dos professores, a baixa remuneração e ainda a desigualdade econômica que resulta em violência urbana.

A Varkey também é responsável pelo Global Teacher Prize, conhecido como o“Nobel da Educação”, que premia os melhores educadores do mundo a cada ano.

 

✏️ Indicado Novo Ministro da Educação

Ao final de Novembro, o presidente eleito Jair Bolsonaro, indicou o novo Ministro da Educação, pelo Twitter. O filósofo colombiano naturalizado brasileiro, Ricardo Vélez Rodriguez, é autor de mais de 30 obras e atualmente é professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército.

O futuro ministro, que também critica o modelo de avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), afirmou que suas prioridades serão a Educação Básica, a qualificação para o trabalho e o fortalecimento da identidade nacional.

 

✏️ BNCC do Ensino Médio aprovada e homologada

A Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio (BNCC), em construção desde 2015, foi aprovada pelo CNE e homologada pelo MEC no último mês do ano.

Dando continuidade aos debates previstos pela Reforma do Ensino Médio, definiu-se que Português e Matemática serão as únicas matérias obrigatórias durante os 3 anos. Dessa forma, as outras áreas do conhecimento poderão ser distribuídas ao longo do período.

Entre as principais transformações está o direcionamento do ensino, que não será voltado para as disciplinas e sim para a resolução de problemas.

A implementação deve ocorrer até o início das aulas em 2022. O documento ainda está em revisão para ser homologado pelo MEC.

 

✏️ Aumento do Investimento na Educação Infantil

Após 4 anos inalterada, a tabela que determina o investimento por modalidade da educação básica, recebe alterações positivas.

Neste caso, o foco será no Ensino Infantil, que irá ter 15% de aumento de verba para creche parcial e 5% para pré-escola parcial. “Não é só a questão financeira, mas é importante investir na educação infantil como a primeira e mais importante etapa da educação básica. A gente só tem a comemorar”, completou o presidente da Undime.

A proposta é de que com este pequeno ajuste, meio bilhão de reais sejam redistribuídos aos municípios.

Compartilhe suas opiniões sobre as mudanças ou outros momentos que você considera importante!

 

 

2 Comentários. Deixe novo

  • Valeu o investimento na educação infantil, pois estava precisando de mais recurso para investir no pedagógico ,co-mo também na estrutura física escolar ou reforma. Parabéns e seja bem vindo este recurso.

    Responder
  • Miriam Lima de Moraes Silva
    12/01/2019 13:19

    Maravilhoso material

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu