BNCC e Ciências da Natureza: saiba o que se espera para o ensino de ciências a partir de agora!

Gestão Escolar

Muito tem se discutido sobre os propósitos da BNCC, a partir do documento já aprovado para o Ensino Fundamental. Com implementação prevista até 2020, é importante considerar também os objetivos específicos a partir de áreas do ensino. A área de Ciências da Natureza por exemplo, está dividida em 3 unidades temáticas. São elas: Matéria e Energia, Vida e Evolução e Terra e Universo.

De acordo com o Movimento pela Base Nacional Comum, grupo não governamental de profissionais da educação: “Ao longo do Ensino Fundamental, a área de Ciências da Natureza tem um compromisso com o desenvolvimento do letramento científico, ou seja, a capacidade de compreender e interpretar o mundo (natural, social e tecnológico), mas também de transformá-lo”.

Para entender melhor, podemos começar olhando para nortes de ensino por trás dos conteúdos trazidos pelas unidades temáticas. Isso porque além das 10 Competências Gerais da BNCC, cada área também conta com suas próprias competências. Aliás, este é um grande foco de ensino trazido pela Base.

Vale lembrar que as competências são a integração de um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA). Enquanto o conhecimento é aquilo que se sabe, as habilidades representam a capacidade de saber fazer. Já as atitudes dizem respeito ao querer fazer e estão diretamente ligadas à ação.

Conheça então quais são elas para a área de ciências da natureza e a importância destes novos direcionamentos!

 

As 8 Competências de Ciências da Natureza para o Ensino Fundamental

De acordo com a BNCC, são 8 as competências esperadas para esta área:

  1. Compreender as Ciências da Natureza como empreendimento humano, e o
    conhecimento científico como provisório, cultural e histórico.
  2. Compreender conceitos fundamentais e estruturas explicativas das Ciências da Natureza, bem como dominar processos, práticas e procedimentos da investigação científica, de modo a sentir segurança no debate de questões científicas, tecnológicas, socioambientais e do mundo do trabalho, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.
  3. Analisar, compreender e explicar características, fenômenos e processos relativos ao mundo natural, social e tecnológico (incluindo o digital), como também as relações que se estabelecem entre eles, exercitando a curiosidade para fazer perguntas, buscar respostas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das Ciências da Natureza.
  4. Avaliar aplicações e implicações políticas, socioambientais e culturais da ciência e de suas tecnologias para propor alternativas aos desafios do mundo contemporâneo, incluindo aqueles relativos ao mundo do trabalho.
  5. Construir argumentos com base em dados, evidências e informações confiáveis e negociar e defender ideias e pontos de vista que promovam a consciência socioambiental e o respeito a si próprio e ao outro, acolhendo e valorizando a diversidade de indivíduos e de grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza.
  6. Utilizar diferentes linguagens e tecnologias digitais de informação e comunicação para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos e resolver problemas das Ciências da Natureza de forma crítica, significativa, reflexiva e ética.
  7. Conhecer, apreciar e cuidar de si, do seu corpo e bem-estar, compreendendo- se na diversidade humana, fazendo-se respeitar e respeitando o outro, recorrendo aos conhecimentos das Ciências da Natureza e às suas tecnologias.
  8. Agir pessoal e coletivamente com respeito, autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, recorrendo aos conhecimentos das Ciências da Natureza para tomar decisões frente a questões científico-tecnológicas e socioambientais e a respeito da saúde individual e coletiva, com base em princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários.

 

Quais os principais reflexos desta aprendizagem?

Como as competências dizem respeito ao conhecimento colocado em prática, o esperado é estes estudos permitam uma mudança de comportamento. No final, todos é necessário que este aprendizado se reverta em atitudes com base em princípios éticos e sustentáveis.

A partir do entendimento da vida e seus diversos aspectos, eles poderão refletir sobre a existência em diferentes níveis. Começando pela compreensão de si próprios e de sua saúde física, mental e emocional. Depois também levando em conta todos os seres humanos e o meio ambiente. Por fim chegando ao estudo de outros planetas e o espaço.

Percebe-se a grande importância do sentido de pertencimento em uma visão de todo. Afinal, é a partir desta compreensão que somos capazes de desenvolver o respeito por todo ser vivo e ambiente.

É importante considerar os diversos problemas socioambientais em que vivemos como poluição, fome, doenças, desmatamento, entre outros. Dessa forma as competências aplicadas através de ciências da natureza, são urgentes para a qualidade de vida no planeta hoje.

O estímulo do interesse e a curiosidade científica deverão ser responsáveis pela cooperação e pelo trabalho coletivo. A intenção é um estilo de vida mais saudável de forma individual e coletiva.

Para além da sala de aula, também já existem muitas escolas no mundo ativando estas atitudes sustentáveis no dia-a-dia. Assim, vale lembrar que o exemplo e a vivência dentro do cotidiano das escolas, aumenta a absorção do aprendizado. Pequenas atitudes como a coleta seletiva do lixo, algum contato com o ar livre e a natureza e o respeito ao próximo já são formas de ensinar a consciência!

Sua escola está preparada para ativar estes conhecimentos?

 

 

1 Comentário. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu